Denise Scott Brown – Biografia e obras

    Denise Scott Brown – Biografia e obras
    Beatriz Dilascio

    Por Beatriz Dilascio

    07 março 2022

      Compartilhar esse post

      Denise Scott Brown é uma das maiores profissionais do século XX, arquiteta, professora e escritora, ela se tornou um símbolo importante da arquitetura pós-modernista.

      Ela fazia críticas ao estilo modernista, pois acreditava que a arquitetura precisava considerar questões históricas e culturais também, de uma maneira mais eclética e menos engessada.

      Teve sua carreira construída em seu escritório Venturi, Scott Brown and Associates, tornando-se referência e ocupando um lugar de destaque nesse meio.

      A trajetória de Denise Scott Brown

      Sua história começa em 1931, na Zâmbia, em uma cidade chamada Nkana, filha de pais judeus, Simon e Phyllis Lakofski. Denise cresceu no subúrbio de Joanesburgo, na África do Sul e com 17 anos iniciou seu curso superior na Universidade de Witwatersrand, onde conheceu o seu primeiro marido, Robert Scott Brown.

      A arquiteta Denise Scott Brown jovem, na época em que se mudou para Filadélfia.
      A arquiteta Denise Scott Brown jovem, na época em que se mudou para Filadélfia, nos Estados Unidos. Fonte: Pinterest

      Em 1952, Denise se transferiu para Londres, onde concluiu sua graduação em arquitetura na Architectural Association School of Architecture em 1955. Logo após sua formação, Denise viajou e trabalhou por vários lugares da Europa com  seu marido, porém, em 1958, mudou-se para Filadélfia, nos Estados Unidos, e lá se estabeleceu. 

      Essa mudança foi decorrente de uma oportunidade para fazer mestrado em arquitetura e planejamento urbano na Universidade da Pensilvânia, marcando o início da sua brilhante carreira acadêmica. 

      Um ano após sua mudança, seu marido Robert Scott Brown faleceu após um acidente de carro. Já em 1960, Denise completou o seu mestrado e se tornou membro do corpo docente da Universidade da Pensilvânia.

      Denise como professora.
      Denise como professora. Fonte: Metalocus

      Enquanto estava em uma reunião do corpo docente da universidade, Denise conheceu Robert Venturi, também arquiteto e professor na universidade, que mais tarde seria seu marido. 

      Logo após seu mestrado, Denise continuou com seus a dar aula em várias universidades, dessa vez sobre planejamento urbano, com cursos interdisciplinares, tanto para arquitetos e urbanistas quanto para cientistas sociais. 

      Ao longo de sua carreira, Denise recebeu mais de 12 títulos de doutora honorária em diversas universidades, como professora em diversas instituições com muito prestígio, como Harvard, Yale, entre outras.

      Denise Scott Brown e Robert Venturi.
      Denise Scott Brown e Robert Venturi. Fonte: Pinterest

      Denise e Robert se aproximaram e em 1967 se casaram em Santa Monica, nos Estados Unidos, ela se juntou ao escritório de arquitetura de seu marido e começou a dirigir o planejamento da empresa, o design urbano e também trabalhava na programação arquitetônica.  

      A contribuição para o mundo acadêmico

      Além do seu destaque como professora nas universidades, Denise contribuiu de outras formas importantíssimas para o desenvolvimento acadêmico. Dentre suas obras estão alguns livros muito famosos, como: Aprendendo em Las Vegas: o simbolismo esqueceu-se da forma arquitetônica, Conceitos urbanos e Arquitetura e Artes Decorativas – dois novatos no Japão, todos em parceria com Robert Venturi.

      No ano de 1989, o escritório de arquitetura passou a se chamar Venturi, Scott Brown and Associates, agora apenas com Venturi e Denise como sócios. Eles fecharam grandes contratos de planejamento urbano, o que possibilitou a Denise elaborar projetos cívicos de planejamento, estudos e projetos de campus das universidades.

      Denise e Robert na Venturi, Scott Brown and Associates onde realizaram inúmeros projetos incríveis para o mundo acadêmico, entre outros.
      Denise e Robert na Venturi, Scott Brown and Associates onde realizaram inúmeros projetos incríveis para o mundo acadêmico, entre outros. Fonte: The Architect’s Newspaper

      Além desses projetos de planejamento urbano, atuou também ao lado de Robert Venturi em projetos de arquitetura em Londres, no Japão, entre outros lugares do mundo.

      Fora isso, Denise também foi responsável por projetos de planejamento de diversos campus universitários e prédios para institutos. Dentre esses projetos estão o planejamento mestre da Universidade da Pensilvânia e da Universidade de Michigan, estudos de planejamento para o Instituto Radcliffe de Estudos Avançados da Universidade de Harvard, entre outros projetos.

      Enquanto professora de faculdade, ela foi nomeada como copresidente do Programa de Design Urbano da Universidade da Califórnia. Além disso, mais tarde, Denise lecionou na famosa Universidade de Yale e, em 2003, ela foi professora convidada na Graduate School of Design, em Harvard.

      Reconhecimentos e premiações de Denise Scott Brown

      Ao longo de toda a sua incrível carreira como arquiteta, professora e escritora, Denise recebeu reconhecimentos pelas suas obras e seus projetos, sendo o primeiro deles o AIA Firm Award, em 1985.

      Denise fazendo um discurso em uma de suas premiações.
      Denise fazendo um discurso em uma de suas premiações. Fonte: Pinterest

      Depois de dois anos, em 1987, ela ganhou o prêmio Chicago Architecture Award, e não parou por aí, ainda recebeu os prêmios: Visionary Woman Award e o Harvard Radcliffe Institute Medal. E há pouco tempo, em 2019, Denise Scott Brown ganhou o Prêmio Carreira Trienal de Lisboa Millennium BCP.

      O Prêmio Pritzker 

      Como vimos, Denise recebeu diversas premiações e reconhecimentos pelos seus trabalhos, porém ela ficou de fora de uma das premiações mais importantes do mundo da arquitetura, o Prêmio Pritzker.

      Quem recebeu essa premiação, em 1991, na verdade, foi seu marido, Robert Venturi. Entretanto,  a obra reconhecida pelo prêmio foi uma colaboração entre Venturi e Denise, o que acabou gerando muita revolta.

      Robert, sem entender o que aconteceu, foi procurar uma resposta, e a Fundação Hyatt, organizadora do Pritzker, alegou que a premiação só poderia acontecer individualmente e não em dupla, por isso decidiram dar o prêmio para Venturi.

      Denise Scott Brown não foi a cerimônia da premiação como forma de protesto, mas seu marido fez questão de dar o devido reconhecimento à arquiteta em seu discurso, dizendo que o projeto premiado foi colaborativo e que ela teve uma participação primordial.

      Somente em 2013, uma organização da Escola Superior de Design de Harvard, a Women In Design, fez uma petição para que incluíssem o nome de Denise no reconhecimento do prêmio. Contudo, mesmo assim, a decisão do Pritzker não foi revertida e o prêmio continuou apenas com o nome de Robert Venturi.

      Em contrapartida, em 2016, os dois juntos receberam a Medalha de Ouro do American Institute of Architects. Foram reconhecidos por seus projetos construídos e escritos que definiram o curso do pós-modernismo e praticamente toda a sua evolução na arquitetura.

      Outras obras de Denise Scott Brown

      Sabemos que Denise teve uma brilhante carreira em instituições acadêmicas, porém ela também fez obras incríveis com Robert Venturi, seu marido, que só deram certo pela participação de ambos nos projetos, mesmo que em alguns momentos, Denise não tenha tido esse reconhecimento.

      Para você conhecer um pouco mais sobre o trabalho de Denise na arquitetura, separamos alguns dos projetos. Confira!

      Quartel dos Bombeiros número 4

      Em 1960, eles foram convocados para projetar um quartel de bombeiros, na cidade de Columbus, em Indiana. O edifício era comum, com uma planta simples, com uma torre de secagem de mangueira bem no centro. 

      Quartel dos Bombeiros número 4 projetado pelo escritório de Denise e Robert, com uma planta simples, porém muito bem-pensada para a sua finalidade.
      Quartel dos Bombeiros número 4 projetado pelo escritório de Denise e Robert, com uma planta simples, porém muito bem-pensada para a sua finalidade. Fonte: Pinterest

      Sua fachada foi feita com tijolos de vidro branco na frente do edifício com as bordas de tijolos vermelhos. Um edifício com a funcionalidade perfeita para a proposta, ideal para as atividades de resgate de um corpo de bombeiros. 

      Museu das Crianças de Houston

      Mais uma obra famosa dos arquitetos é o Museu das Crianças de Houston, fundado em 1980, esse projeto teve uma base de estudos sobre a psicologia infantil. O edifício possui mais de 4.100 m² e oferece exposições e programas de aprendizado bilíngue para crianças que possuem de 1 a 12 anos de idade.

      Museu das Crianças de Houston, um projeto pensado para proporcionar exposições e programas de aprendizado bilíngue para crianças.
      Museu das Crianças de Houston, um projeto pensado para proporcionar exposições e programas de aprendizado bilíngue para crianças. Fonte: Pinterest

      O museu possui uma arquitetura imponente, com colunas robustas que sustentam um frontão, que possui letras em negrito escrito “Museum”, apesar de ter uma arquitetura mais pesada, o edifício é bem colorido e chama muita atenção.

      Allen Memorial Art Museum

      Esse projeto foi uma extensão de um edifício já existente e projetado por Cass Gilbert, o Oberlin College. Como o terreno do colégio era estreito, Denise e Robert tiveram que projetar a extensão de maneira assimétrica para que coubesse no local.

      Extensão do edifício Oberlin College, feito pelo escritório Venturi, Scott Brown and Associates.
      Extensão do edifício Oberlin College, feito pelo escritório Venturi, Scott Brown and Associates. Fonte: Oberlin College

      Porém, mesmo com essa limitação de terreno, eles fizeram com que esse novo projeto harmonizasse muito bem com o edifício já existente, combinando cuidadosamente alguns materiais para produzir um padrão semelhante ao original.

      Esse projeto conta com uma biblioteca, uma galeria de arte contemporânea, um laboratório de conservação, estúdios de escultura, áreas de estudos e algumas lojas. Além disso, os arquitetos tiveram que renovar algumas partes do edifício antigo, principalmente o seu sistema mecânico. 

      Sainsbury da National Gallery

      Esse projeto, assim como o anterior, foi uma ampliação de um edifício já existente, o National Gallery, de Londres. A Ala Sainsbury, como era chamada, foi inaugurada em 1991, porém, até a data da inauguração, surgiram algumas polêmicas. 

      A Ala Sainsbury, uma ampliação do projeto National Gallery, em Londres.
      A Ala Sainsbury, uma ampliação do projeto National Gallery, em Londres. Fonte: ArchDaily

      Isso porque foi realizado um concurso para saber quem projetaria a ampliação do edifício, em 1982, e a proposta escolhida foi a do escritório ABK Architects. Porém, dois anos depois, o Príncipe Charles fez um discurso dizendo que não achava a proposta apropriada e que algum representante contemporâneo apresentaria uma alternativa mais adequada para a ala.

      Isso gerou uma grande polêmica que acabou invalidando a proposta do ABK Architects. Foi realizado um novo concurso e o ganhador foi o escritório de Denise e Robert, o Venturi, Scott Brown and Associates.

      Sua proposta foi de um “espelhamento” da vizinhança em que o edifício se localizava. Porém, os arquitetos também optaram por utilizar alguns elementos mais irônicos e contraditórios, como elementos de uma obra maneirista.

      Gostaria de saber mais sobre mulheres que fizeram história no mundo da arquitetura?  Então não deixe de conferir:

      Quer relatar sobre algum erro?

      Avise a gente

      LEIA TAMBÉM
      Posts relacionados
      News do Live

      Cadastre-se grátis e aproveite nossos conteúdos sobre arquitetura, decoração, mercado imobiliário e mais.

      Seu melhor e-mail