Arquitetura paramétrica: conceito e obras pelo mundo

    Arquitetura paramétrica: conceito e obras pelo mundo
    Victória Baggio

    Por Victória Baggio

    09 março 2022

      Compartilhar esse post

      Que a tecnologia digital já é nossa aliada em várias esferas do dia a dia e que isso é um crescente mundial, não é nenhuma novidade. Nesse contexto, até mesmo a arquitetura e a construção civil, que vinham durante muito tempo utilizando métodos tradicionais, já estão sendo criadas a partir de um modo digital, graças a arquitetura paramétrica.

      É isso mesmo, o papel e o lápis já haviam sido substituídos pelo computador há alguns anos e, agora, novos programas de modelação e concepção arquitetônica digitais possibilitam a criação de modelos de edifícios de maneira incrivelmente mais rápida, eficiente e com inúmeras vantagens. 

      A seguir, descubra tudo sobre a arquitetura paramétrica, o que é, como funciona, porque utilizar, e conheça obras construídas que foram concebidas a partir deste método, ao redor do mundo e também no Brasil.

      O que é arquitetura paramétrica?

      A arquitetura paramétrica é um modo de elaborar um projeto de arquitetura e engenharia civil que utiliza a tecnologia digital como aliada para gerar novas formas de maneira mais eficiente. 

      Isso é possível a partir da utilização de determinados programas digitais, especificamente criados para isso. Nestas plataformas, o arquiteto introduz uma série de parâmetros (dados), previamente definidos, que são lidos a partir de algoritmos digitais, resultando em uma série de possibilidades com formas inovadoras, cumprindo com todos os aspectos colocados. 

      Arquitetura paramétrica projetada por Zaha Hadid.
      Arquitetura paramétrica projetada por Zaha Hadid. Fonte: Iwan Baan

      Estes parâmetros podem ser muitos, como a posição solar, o comportamento de ventos, do solo do lugar e dos materiais aplicados, fatores do entorno, além do programa funcional do edifício a ser projetado, indicando áreas, ambientes, alturas etc. Tais dados são lidos, quantificados e codificados pelo programa, que serve de base para a criação de uma ou mais formas possíveis.

      Se fizermos uma comparação da arquitetura com a gastronomia, seria como fornecer ao computador os ingredientes e suas quantidades, e este criasse possíveis receitas a serem feitas com os dados obtidos, apresentando uma variedade de pratos que poderiam ser alcançados.

      E, além da arquitetura e da engenharia, a parametrização pode ser aplicada na criação de design mobiliário e objetos, projetos paisagísticos e, até mesmo, de figurino. O método é bem-vindo em diversas esferas que utilizam softwares de criação digital, afinal agiliza o processo de projeto, além de proporcionar formas nunca antes imaginadas, com a garantia de que são possíveis de materializar. 

      Por que utilizar arquitetura paramétrica? 

      Utilizar a arquitetura paramétrica para a concepção de projetos apresenta uma série de vantagens, desde o período de criação até a construção do edifício. Isso se faz visível a partir de vários fatores, desde o tempo requerido para realizar o projeto, a garantia de um produto final seguro e possível, sem margem de erro, além de ser o melhor método para quem deseja conceber uma arquitetura com formas orgânicas, sinuosas e complexas.

      Interior de auditório projetado utilizando arquitetura paramétrica.
      Interior de auditório projetado utilizando arquitetura paramétrica. Fonte: Iwan Baan

      A principal vantagem de utilizar a arquitetura paramétrica é sua eficiência, garantindo um projeto que cumpra com todas as demandas ⏤ funcionais, estruturais e formais ⏤ em um curto período, é algo que, se comparado ao método de criação tradicional, levaria muito mais tempo e a margem de erro seria bastante relevante, o que poderia ocasionar problemas ao decorrer do projeto e da obra.

      Além disso, a arquitetura paramétrica é o melhor método para criação de edifícios de grande escala urbana, com um programa funcional longo, formas geométricas complexas, curvas acentuadas e sinuosas. O que reflete o poder da utilização de parâmetros no processo de criação para conceber formas impressionantes, cujo resultado apresenta um aspecto futurista nos tempos atuais. 

      Arquitetura paramétrica e sua relação com o BIM

      Os programas Building Information Modeling (BIM) são softwares digitais para concepção de projetos de arquitetura, que trabalham com informações gráficas e não gráficas, com o objetivo de conter de maneira clara as diferentes componentes de um edifício, também como organizar as etapas de obra da construção.

      Interface do programa digital de arquitetura paramétrica Dynamo.
      Interface do programa digital de arquitetura paramétrica Dynamo. Fonte: Future Archi

      Assim como os programas paramétricos, o BIM também trabalha com parâmetros, porém mais simples e básicos, sem o poder de criar modelos automáticos. Os softwares de arquitetura paramétrica facilitam o processo de modelagem, a partir da criação de modelos mais completos.

      Já a imagem final da arquitetura paramétrica é o resultado de uma combinação de variáveis, criadas pelo programa de modelação digital. Portanto, os softwares paramétricos são como a extensão de um BIM e, inclusive, podem funcionar em conjunto. O programa Dynamo, por exemplo, funciona como integração com o Revit (BIM) e o Grasshopper com o Archicad (BIM).

      Obras concebidas a partir da arquitetura paramétrica

      A arquitetura paramétrica já fez possível a materialização de diversas obras importantes ao redor do mundo. Comumente de escala impactante na cidade, de programas públicos, como centros culturais, estádios, museus, bibliotecas, faculdades e centros comerciais. 

      O estilo arquitetônico da maior parte da arquitetura paramétrica construída é o Desconstrutivismo, com forte influência do Cubismo e do Futurismo, que resultam em edifícios com formas inovadoras e surpreendentes.  

      Arquitetura paramétrica pelo mundo

      A principal arquiteta responsável por impulsionar a arquitetura paramétrica no mundo foi Zaha Hadid, ganhadora do prêmio Pritzker em 2016. Embora ela tenha falecido jovem, o escritório de escala global segue materializando obras de arquitetura de acordo com o pensamento da arquiteta. 

      Heydar Aliyev Center, Azerbaijão.
      Heydar Aliyev Center, Azerbaijão. Fonte: Iwan Baan

      Os edifícios são marcados por formas orgânicas sinuosas de grandes dimensões, que geram perspectivas aparentemente distorcidas, onde o edifício parece estar em movimento veloz. A cor branca é a mais utilizada para os exteriores, enquanto os interiores são banhados por uma iluminação etérea, a partir de placas de luzes. 

      Entre as obras mais relevantes da arquiteta e seu escritório estão o Heydar Aliyev Center, construído em 2013, no Azerbaijão, onde a organicidade tem como referência os tradicionais tapetes da cultura local.

      Biblioteca e Centro de Ensino da Universidade de Economia.
      Biblioteca e Centro de Ensino da Universidade de Economia, em Viena. Fonte: Iwan Baan

      Enquanto a Biblioteca e o Centro de Ensino da Universidade de Economia, em Viena, construído também em 2013, da mesma arquiteta, apresentam linhas geométricas radicais, as diagonais tomam conta do edifício, que parece estar em movimento rápido, linguagem que expressa a leitura dos fluxos viários do entorno do edifício. 

      Metropol, em Sevilha, Espanha.
      Metropol, em Sevilha, Espanha. Fonte: Vivi Andalucía

      Outro edifício mundialmente conhecido, também concebido a partir da arquitetura paramétrica, é o Metropol Parasol, em Sevilha, na Espanha. Conhecido como “Setas de Sevilla”, que traduzido ao português seria “Cogumelos de Sevilla”, nome dado pelo público por conta da forma da estrutura, que se assemelha a cogumelos gigantes.

      A obra é de autoria do arquiteto alemão Jürgen Mayer, construída no ano 2011, e está entre as maiores construções de madeira do mundo. O edifício, que ganha a cena na cidade, tem função de centro comercial e praça elevada. 

      Arquitetura paramétrica no Brasil

      Aqui no Brasil também já podemos encontrar edifícios construídos a partir da arquitetura paramétrica. Um famoso exemplo é o Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro, projetado pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava. 

      Museu do Amanhã, Rio de Janeiro.
      Museu do Amanhã, Rio de Janeiro. Fonte: Tripadvisor

      O museu, criado para abordar temas do planeta no futuro, foi concebido com a ideia de ser o mais futurista possível, trazendo novas tecnologias para um ambiente de exposições. E tal conceito foi aplicado desde sua criação, utilizando um modelo digital paramétrico, o qual possibilitou a materialização da sua arquitetura. 

      O futuro é hoje

      Apesar de o conceito parecer distante, a obra construída a partir da arquitetura paramétrica fala por si, e seu avanço está mais próximo do cotidiano do que podemos imaginar. 

      A tecnologia BIM, que vem em uma crescente, utilizada para uma variedade de edifícios, de maior e menor escala, e das mais diferentes funções, possui como base o mesmo sistema, deixando evidente que o futuro é digital e parametrizado. 

      Quer relatar sobre algum erro?

      Avise a gente

      LEIA TAMBÉM
      Posts relacionados
      News do Live

      Cadastre-se grátis e aproveite nossos conteúdos sobre arquitetura, decoração, mercado imobiliário e mais.

      Seu melhor e-mail