Conheça os tipos de lâmpadas e ilumine seus ambientes

Tipos de lâmpadas

Para garantir conforto e aconchego nos ambientes, é muito importante investir em uma iluminação que faça a diferença. Por isso, é essencial conhecer os diferentes tipos de lâmpadas que existem no mercado.

Além da disposição da mobília, dos estilos decorativos e do uso das cores nos espaços, a iluminação também é um detalhe que merece bastante atenção.

Confira a seguir algumas dicas para entender quais são os melhores tipos de lâmpadas para cada ambiente da sua casa.

Características das lâmpadas

Ao comprar lâmpadas e aparelhos para iluminação, como luminárias, você encontrará diversas opções, modelos, tamanhos e também muitas informações no rótulo das lâmpadas. 

Mas não se preocupe! Veja a seguir as principais características e mais importantes para se observar:

Potência

Quadro comparativo entre a quantidade de potência e a vida útil entre os tipos de lâmpadas: incandescentes, fluorescentes e de LED.
Comparativo entre a quantidade de potência e a vida útil entre as lâmpadas incandescentes, fluorescentes e de LED. Fonte: Live

A potência é uma medida que indica a quantidade de energia que determinada lâmpada consome. Entretanto, esse indicativo não necessariamente tem a ver com a luminosidade que a lâmpada incide. 

Medida em Watts (W), a potência está diretamente ligada ao consumo e, consequentemente, ao valor que a energia gasta trará ao final do mês.

Independentemente dos tipos de lâmpadas, quanto maior a potência, maior o consumo.

Lúmens

Quadro que apresenta os lúmens, que representam a quantidade de luz emitida de cada tipo de lâmpada.
Os lúmens representam a quantidade de luz emitida. Fonte: Live

Os lúmens indicam a medida da radiação luminosa emitida pela lâmpada, ou seja, trata-se da quantidade de luz emitida em cada ambiente. Quanto maior os lúmens, mais luz é emitida.

Assim, a lâmpada mais vantajosa em termos de consumo e economia é aquela que tem maior relação de Lúmens/Watt. Afinal, ao emitir mais luz gastando menos energia, a lâmpada confere uma maior economia de energia.

Temperatura de cor

Quadro comparativo entre a temperatura das cores em Kelvins e os ambientes onde são mais indicadas.
Comparativo entre a temperatura das cores em Kelvins e os ambientes onde são mais indicadas. Fonte: Live

Apesar do nome, a temperatura da cor não está relacionada com a temperatura de cada lâmpada, isto é, seu calor físico. Trata-se de uma medida que se refere à tonalidade de cor que ela irradia ao ambiente, dada em Kelvins (K). 

Quanto maior o valor da temperatura da cor, mais clara é a tonalidade de cor da luz. Por exemplo, as lâmpadas fluorescentes de tubo possuem uma temperatura de cor superior às lâmpadas incandescentes, ou seja, as lâmpadas fluorescentes de tubo são mais claras.

Entretanto, é importante pontuar que é possível encontrar quase todos os tipos de lâmpadas em diferentes temperaturas de cor. 

Iluminação quente X Iluminação fria

Ilustração mostra a diferença entre as temperatura das cores quente, fria e neutra, que oferecem diferentes tipos de iluminação em um mesmo ambiente.
A temperatura das cores oferece diferentes tipos de iluminação em um mesmo ambiente. Fonte: Live

A iluminação quente tem como objetivo valorizar a sofisticação, o conforto e o aconchego no espaço. Desta forma, é mais indicada para quartos, salas de jantar e estar, entre outros, ou seja, locais de descontração, onde é possível descansar e relaxar.

Enquanto a iluminação fria tem como conceito a atenção e o foco, sendo ideal para ambientes onde sejam realizadas atividades que exijam concentração e centralidade, como escritórios, cozinha, banheiros, entre outros.

Os diferentes tipos de lâmpadas existentes possuem tipos específicos de iluminação, então, entender a temperatura de cada uma delas é essencial.

Quantidade de luz para cada ambiente

Cada ambiente da casa possui uma necessidade de luz que deve receber, portanto é preciso atentar-se à quantidade de luz que cada cômodo recebe, de acordo com a necessidade, de forma que a sua visão não seja prejudicada, e o ambiente seja confortável e agradável.

Não utilizar a iluminação da maneira correta pode desfavorecer a decoração dos espaços, desvalorizar o ambiente e prejudicar as funções que nele seriam desempenhadas.

Nada de pecar pela falta ou pelo excesso de luz nos ambientes. O meio ambiente e o seu bolso agradecem pelo cuidado.

Tipos de lâmpadas

Agora que você conhece as principais características que compõem as lâmpadas, já pode conferir os diversos tipos de lâmpadas disponíveis no mercado.

Lâmpadas incandescentes

Apesar de terem sido populares durante muito tempo, as lâmpadas incandescentes são antigas e desde 2016 estão proibidas no Brasil.

A proibição de venda de lâmpadas incandescentes com potência de 41 W a 60 W que não atendem aos níveis mínimos de eficiência energética foi instituída pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

Tipos de lâmpadas: lâmpada incandescente.
Por muitos anos as lâmpadas incandescentes foram muito utilizadas no Brasil. Fonte: Pinterest

São lâmpadas de luz amarelada com um baixo custo, porém também representam um maior consumo de energia, uma vida útil curta e uma eficiência luminosa baixa.

Além disso, pensando em termos de calor físico, não são uma boa pedida, já que apenas 5% da energia elétrica consumida por uma lâmpada incandescente é transformada em luz, o restante é transformado em calor, em razão de a eletricidade passar por um filamento, que é hiperaquecido até que a luz seja emitida.

Lâmpadas halógenas

As lâmpadas halógenas são tecnicamente lâmpadas incandescentes. Entretanto, são diferentes dos modelos com potência entre 41 W e 60 W e, ainda, contêm adição de gases halógenos na sua parte interna.

Normalmente, os gases podem ser bromo ou iodo e são inseridos para possibilitar uma recuperação mais eficiente do calor produzido. Assim, permitem que as lâmpadas não escureçam, garantindo uma maior durabilidade. Contudo, apesar de essas lâmpadas iluminarem melhor os ambientes, também consomem mais energia.

Lâmpadas halógenas.
As lâmpadas halógenas são muito versáteis. Fonte: Luxforte do Brasil

Além disso, conseguem recuperar mais o calor liberado, ainda que também esquentem um pouco o ambiente. São boas sugestões para uso em iluminação de destaque ou decorativa, como em jardins, assim como também podem ser utilizadas na iluminação embutida, sob armários e pendentes.

As lâmpadas halógenas são comercializadas nos modelos palito e dicroica. Também podem ser usadas com dimmer, dispositivos utilizados para variar a intensidade da corrente elétrica média em lâmpadas.

Lâmpadas dicroicas

Tipos de lâmpadas:  lâmpadas dicroicas.
Um dos pontos fortes das lâmpadas dicroicas é que dissipam muito bem o calor. Fonte: Pinterest

As lâmpadas dicroicas são uma variação da lâmpada halógena, a diferença é que são equipadas com um refletor especial, cuja função é difundir os raios infravermelho e ultravioleta emitidos pela lâmpada.

Essas lâmpadas refletem toda a luz visível, ao passo que também filtra a passagem dos raios infravermelho e ultravioleta. O que faz com que os raios sejam emitidos para os lados e para a parte de trás da lâmpada, ao invés de seguirem diretamente para frente, juntamente da luz visível.

Desta maneira, o refletor contribui com a dissipação do calor da lâmpada. Por isso, são utilizadas em locais onde existem elementos sensíveis ao calor, por exemplo objetos de decoração sofisticados como pinturas raras, desenhos valiosos etc.

Lâmpadas fluorescentes

As lâmpadas fluorescentes funcionam por meio de um gás ionizado que emite radiação ultravioleta, que, ao passar sobre uma camada fluorescente na superfície dos tubos de vidro, se transforma em luz visível.

Lâmpada fluorescente.
Existem muitas variações de cores para as lâmpadas fluorescentes. Fonte: eCycle

As lâmpadas fluorescentes ganharam muita popularidade após a proibição da venda das lâmpadas incandescentes. Por isso, hoje em dia, são as mais conhecidas e indicadas para o uso residencial e comercial.

Afinal, as lâmpadas fluorescentes são uma alternativa econômica, apresentam alta eficiência e baixo consumo de energia, além de uma boa funcionalidade para iluminar os ambientes, podendo ser utilizadas inclusive como iluminação decorativa em arandelas, luminárias de piso e abajures.

Além disso, existem diferentes possibilidades de cores de luz, como: tons de branco, azulados, esverdeados e, até mesmo, amarelados, que podem ser bem similares às incandescentes. 

Luz negra iluminando uma camiseta branca com algumas letras pintadas.
A luz negra sempre contribui com a diversão das pessoas durante as festas. Fonte: Pinterest

Existe também a luz negra, muito utilizada para decorações principalmente de festas e eventos. Ela é composta pela radiação ultravioleta combinada com um pequeno percentual de luz visível de cor violeta. Desta forma, a luz emitida pelas lâmpadas fluorescentes é, em grande parte, produzida pela fina camada branca que a envolve, composta por sais de fósforo, os quais convertem a luz UV para luz visível.

Lâmpadas diodos emissores de luz (LED) – Lâmpadas de LED

Consideradas as mais modernas, as lâmpadas do tipo LED são as mais econômicas do mercado, já que garantem uma redução de até 90% no consumo de energia, ao passo que não emitem calor físico, possuem uma alta durabilidade, com uma vida útil muito superior às demais, apesar de ser mais cara.

Entretanto, ao analisar sua conta de luz, você perceberá que as lâmpadas de LED possuem um bom custo-benefício.

Por exemplo: uma lâmpada de LED é equivalente a uma incandescente de 60 W de potência. Sua modernidade se dá devido ao fato de que as lâmpadas de LED convertem energia elétrica diretamente em energia luminosa, num processo muito ágil. 

Tipos de lâmpadas: lâmpada de LED.
Considerada mais moderna do que a lâmpada fluorescente, a lâmpada de LED é a mais nova “queridinha” dos consumidores. Fonte: Anchieta Materiais Elétricos e Hidráulicos Ltda.

No mercado, é possível encontrar diversas versões, como: spots, em mangueira, em diversas cores e, claro, no modelo comum. Por isso, são uma boa pedida para iluminar os ambientes de forma geral, como também são boas opções para compor uma iluminação decorativa.

Inclusive, é possível fazer iluminações direcionadas com luminárias do tipo foco dirigível e pendentes, por exemplo, e também fazer o controle da intensidade da incidência da luz utilizando dimmers.

Fibra ótica

Trata-se de um filamento de vidro ou de elementos poliméricos, como plásticos, borrachas ou fibras, que possuem a capacidade de transmitir luz visível.

A transmissão da luz é feita por meio de um processo muito rápido que consiste em lançar um feixe de luz em uma das extremidades do filamento de fibra, até que essa parte da luz percorra toda a fibra por meio de inúmeras reflexões, até que a luz possa ser expelida pela outra extremidade.

A fibra ótica representa muita tecnologia e inovação dentre os tipos de lâmpadas.
Tecnologia e inovação. Fonte: El País

Entretanto, é necessário que exista uma fonte geradora de luz para que esse percurso nos cabos da fibra ótica aconteça, sendo possível iluminar diversos outros pontos. E não há preocupações com choques, por exemplo, pois a fibra transmite a luz e não a energia elétrica propriamente dita.

A iluminação com fibra ótica não emite calor físico, é compacta, ou seja, não ocupa muito espaço, sua manutenção é simples e segura e é considerada uma iluminação econômica. Pode ser utilizada como decoração e para dar destaque em determinados pontos específicos, como detalhes arquitetônicos, vitrines de lojas, jardins e em cortinas de luz.

Neon

Letreiro feito com luzes neon, com a palavra love (amor, em português).
Letreiro feito com luzes neon, com a palavra love (amor, em português). Fonte: Pinterest

Composta por um tubo com gás néon sob pressão baixa em seu interior, a lâmpada de neon emite uma luz vermelha ao ser submetida à eletricidade, até que seus eletrodos em seu interior brilhem, emitindo a luz colorida e brilhante.

Desta forma, ela é capaz de produzir diferentes cores de luz, sendo uma ótima opção para decorações específicas, dando muita personalidade para a decoração, ou em festas, confraternizações e eventos.

Lâmpadas de descarga (HID)

Para que as lâmpadas de descarga (HID) sejam acesas, é necessário que uma descarga de alta pressão elétrica entre seus eletrodos aconteça, a fim de que ele possa levar os componentes internos do tubo de descarga a produzirem luz.

Por esse motivo, as lâmpadas precisam de reatores eletrônicos para que sejam acionadas e continuem ligadas por determinado tempo. Além disso, seu processo é um pouco mais lento quando comparado com as demais lâmpadas, já que levam de 2 a 15 minutos para acenderem por completo.

Dentre os tipos de lâmpadas, as lâmpadas de descarga requerem mais tempo para que acendam.
As lâmpadas de descarga requerem mais tempo para que acendam. Fonte: C&C

Entretanto, são lâmpadas mais compactas e possuem baixo consumo de energia, ainda que sua luz produzida seja extremamente potente e brilhante, tenha alta eficiência e longa vida útil. Assim, podem servir como iluminação de grandes áreas, como vias públicas.

Dentre os modelos disponíveis para compra, estão os multivapores metálicos, o vapor de sódio, o vapor de mercúrio e as lâmpadas mistas.

Lâmpadas de filamento

As lâmpadas de filamento são conhecidas pelo apelo decorativo que carregam. Quando aceso, o desenho formado pelos filamentos no interior do vidro da lâmpada remete à elegância da decoração vintage, por meio da iluminação.

Seus filamentos de carbono funcionam como uma boa opção para decoração, pois visualmente garantem uma aparência interessante. Mas em termos de consumo, não são uma boa pedida para servir como iluminação principal, uma vez que possuem pouca potência, ao passo que o gasto de energia é alto.

Nas lâmpadas de filamento, as luzes nos filamentos são um show à parte.
As luzes nos filamentos são um show à parte. Fonte: Pinterest

Então, caso você deseje se inspirar na elegância das lâmpadas antigas, as lâmpadas de filamento são boas opções para investir na decoração com luminárias, lustres e pendentes.

Mas caso opte por essa iluminação, tente utilizá-la em poucos espaços e durante curtos períodos de tempo, afinal, economizar energia é contribuir positivamente com o Planeta.

Lâmpadas inteligentes

Tipos de lâmpadas: lâmpada inteligente.
As lâmpadas inteligentes são extremamente funcionais e práticas. Fonte: Leroy Merlin

Como o nome já sugere, as lâmpadas inteligentes são especiais devido à tecnologia que possuem em seu interior, o que contribui para sua funcionalidade, customização de ambientes e controle de ações.

Elas são um dos principais elementos que compõem as casas inteligentes, repletas de automações e usos de objetos facilitados pela tecnologia. O sistema das lâmpadas inteligentes permite que elas sejam acionadas pelo smartphone, sendo possível manipulá-las mesmo fora de casa, devido às conexões via Internet, conectadas a redes Wi-Fi ou Bluetooth. 

Dentre as funções que desempenham, estão: ligar ou desligar, mudar suas cores de incidência, alterar temperatura e até a luminosidade, dependendo do modelo.

Lâmpadas UV Germicidas

São lâmpadas de baixa pressão, muito semelhantes às lâmpadas fluorescentes normais, entretanto estas são projetadas especialmente para produzir raios de UV Germicida, por meio de um quartzo, com camada interna de fósforo, que bloqueia os raios que geram ozônio, convertendo a luz UV para luz visível.

A lâmpada UV Germicida é capaz de destruir micro-organismos como bactérias, mofos e vírus contidos em pequenas gotas de água no ar, que podem transmitir doenças. Além disso, é conhecida pelo seu alto rendimento de radiação e eficiência para esterilizar ambientes, superfícies e, até mesmo, o ar.

Lâmpada UV germicida.
As lâmpadas UV são ótimos germicidas. Fonte: AKARI Lâmpadas & Leds

Desta forma, é muito importante que as lâmpadas sejam montadas em dispositivos especiais e posicionadas de maneira que as pessoas não sejam expostas à radiação direta. Por este motivo, não são indicadas para uso residencial, e sim, somente, para áreas médicas, laboratórios, indústrias farmacêuticas, cosméticas e alimentícias.

As lâmpadas mais modernas e compactas com UV Germicida são as mais avançadas tecnologicamente, já que são capazes de produzir uma quantidade maior de UV-C, que é totalmente absorvido pelo oxigênio e pelo ozônio da atmosfera, com uma maior vida útil, sendo mais duráveis. 

Estilos de decoração pensando nos tipos de iluminação

Para obter uma boa iluminação é essencial definir o estilo: elegante, despojado, clássico, minimalista, industrial etc. Assim, é possível entender se o tipo de iluminação será mais expressivo ou básico, por exemplo.

Luzes pendentes na decoração de um ambiente próximo às escadas.
Decoração feita com luzes pendentes. Fonte: Pinterest

Em seguida, é preciso pensar na organização do ambiente, pois assim é possível entender o que será valorizado a partir de cada tipo de luminária. Pense nos seus hábitos e na finalidade de cada cômodo.

Por isso, outra etapa muito importante é definir quais tipos de lâmpadas utilizar. Afinal, é indispensável dosar as fontes de luz em cada ambiente para compor a iluminação direta e indireta de forma correta, sempre pensando na intensidade de calor que cada ambiente possui ou necessita.

Decoração despojada e moderna feita com trilho de iluminação e alguns pendentes, num ambiente que possui cadeiras modernas, quadros em preto e branco e um sofá vermelho vibrante.
Decoração despojada e moderna feita com trilho de iluminação e alguns pendentes. Fonte: Pinterest

Seguindo estes passos, é possível optar pelos variados estilos que as luminárias apresentam, compondo o espaço de acordo com a organização do ambiente, a intensidade de luz de cada tipo de lâmpada e o design proposto para cada cômodo.

E se você deseja resolver detalhes importantes que envolvem sua conta de luz, como obter a 2ª via da fatura, realizar a troca de titularidade ou conhecer os canais para contato, você pode acessar nossos conteúdos da série “Resolvendo a vida”. Confira:

Mais em Live

Ebook Busca e Aquisição de Imóvel: A Jornada

Quer comprar um imóvel e não sabe por onde começar? Separamos um conteúdo especial para te ajudar nessa jornada!

Quero baixar
valorizaçao
Você Apto
O que contribui para a valorização de imóveis?

A compra de um imóvel é algo que deve ser feito com atenção e cuidado, afinal, trata-se de um patrimônio de grande valor, que pode impactar a vida de maneira […]

viver-o-brasil_belo-horizonte
Belo Horizonte
Viver o Brasil: Conheça os melhores bairros de Belo Horizonte

A capital mineira é um lugar para se encantar; o urbanismo planejado, o entorno verde, a arquitetura modernista são o cenário de uma cidade que combina tradição e jovialidade, colorida, […]

Confira dicas para reformar e deixar tudo pronto, após a compra do seu imóvel!
Você Apto
Vai se mudar? Confira dicas para reformar e deixar tudo pronto!

Depois de comprar o imóvel dos sonhos, chega a hora da reforma e de cuidar de cada detalhe, se organizar para que tudo corra bem e sem muitos transtornos. Desde […]

Arquitetura
Estilos arquitetônicos: Renascentista

O período renascentista O período renascentista revolucionou a Idade Média com descobertas, invenções e novos pensamentos que surgiram a partir da interação entre culturas.  Assim, o ser humano ganhou maior […]

Arquitetura
Que prédio é esse? - Vila Olímpica (Tóquio)

Um ano após a data planejada, acontece em Tóquio as Olimpíadas 2020, do dia 23 de julho a 8 de agosto de 2021. A cidade já está pronta para o […]

Avaliação de imóveis: quanto vale o meu imóvel?
Você Apto
Avaliação de imóveis: quanto vale o meu imóvel?

A avaliação de imóveis é uma maneira de descobrir quais são os valores adequados para atribuir ao seu imóvel, caso você deseje vendê-lo, alugá-lo ou simplesmente ter mais segurança, conhecendo […]