Tiny houses: minicasas para uma vida minimalista

    Tiny houses: minicasas para uma vida minimalista
    Thainá Neves

    Por Thainá Neves

    25 agosto 2021

      Compartilhar esse post

      As tiny houses são pequenas moradias planejadas para quem deseja viver em espaços compactos e minimalistas.

      Essas casas são o resultado de um movimento que segue a ideia de possuir apenas o essencial, priorizando as experiências entre as pessoas e o contato com a natureza.

      Interior de tiny house, com ampla abertura envidraçada à esquerda e conexão com deck de lazer.
      As tiny houses priorizam a convivência e o contato com a natureza. Fonte: Pinterest

      O movimento tiny house

      O movimento das tiny houses faz parte de uma verdadeira filosofia de vida que incentiva o desprendimento, evitando o acúmulo de bens materiais e o consumismo desnecessário.

      Mas é claro que há outros diversos motivos para que as pessoas decidam ressignificar a maneira de viver, optando por casinhas tão pequenas e nada convencionais. Além do desprendimento material e financeiro, como já foi falado, a consciência ambiental, a necessidade de mudança e a busca por autoconhecimento impulsionam a aquisição de uma minicasa.

      No fim, todos esses motivos se conectam em apenas um: obter maior qualidade de vida.

      Fotografia noturna de tiny house com frente totalmente envidraçada. De seu interior, reflete uma aconchegante luz amarelada.
      Muitas pessoas optam por viver em uma tiny house para ter mais qualidade de vida. Fonte: Unsplash

      Para essa vida de qualidade, a casa é um dos primeiros elementos a ser repensado, da mesma maneira que os movimentos ligados à sustentabilidade desenvolveram o conceito das ecovilas

      Os primeiros sinais do movimento tiny house apareceram entre 1990 e 2000, nos EUA, ao Jay Shafer construir a sua própria residência nesse modelo e fundar a companhia Four Lights Tiny House.

      Minicasa sobre rodas com varanda, telhado em duas águas e estrutura em madeira.
      A casa de Jay Schafer foi uma das primeiras tiny houses desenvolvidas. Fonte: Pinterest

      Posteriormente, durante a crise imobiliária de 2008, a construção de minicasas aumentou por conta do menor custo de compra e manutenção que elas apresentam em alguns países.

      Nesse cenário, no qual os salários já não acompanhavam a alta nos preços dos imóveis, os apartamentos studio começaram a se popularizar e as tiny houses ganharam soluções cada vez mais personalizadas. 

      A partir daí, o conceito se espalhou por diversos países do mundo, culminando no surgimento de empresas focadas nessa inovadora arquitetura, adaptando as minicasas ao clima e aos costumes de cada região.

      Tiny house no Brasil

      O movimento das minicasas no Brasil é recente, tanto que a primeira tiny house brasileira regulamentada foi desenvolvida no ano de 2017.

      Vista externa de minicasa em tons de azul e amarelo. O pé-direito ampliado permite a criação de ambientes suspensos.
      Araraúna foi a primeira tiny house sobre rodas do Brasil, construída e legalizada. Fonte: Pés Descalços

      Os adeptos do movimento estão crescendo, e em Curitiba há até mesmo um condomínio preparado para receber 25 unidades confortavelmente.

      A boa notícia para você que tem interesse em adquirir uma tiny house no Brasil é que há empresas focadas na construção dessas pequenas moradias. A Tiny Brasil e a Tiny Houses Brasil, por exemplo, desenvolvem projetos que são adaptáveis às necessidades do estilo de cada família.

      A arquitetura de uma tiny house

      A metragem compacta é a característica mais marcante de uma tiny house, afinal elas costumam ter, no máximo, 40 m² de dimensão. Por esse motivo, essas construções também são conhecidas por minicasas ou micro casas.

      Micro casa localizada em região fria, em terreno levemente coberto por neve.
      A minicasa Cornélia possui pouco mais de 20 m², seguindo a média das tiny houses. Fonte: TinyHouse.com

      As tiny houses não costumam estar fixadas ao solo, o que permite fácil mobilidade de toda a estrutura. Algumas delas já são preparadas, até mesmo, para se locomover e possuem rodas, assim você pode mudar de localização a qualquer momento.

      Minicasa sobre rodas localizada em região arborizada e totalmente contornada por natureza.
      As minicasas sobre rodas são perfeitas para quem gosta de mudar frequentemente de região, mas deseja estar sempre na mesma moradia. Fonte: The Tiny House

      Além dessa característica principal, a arquitetura das residências possui outros diversos aspectos. Confira!

      Ambientes integrados

      As plantas das minicasas são lineares, com o seu comprimento bem mais extenso do que a sua largura, como os trailers. Em virtude dessa configuração, as residências são projetadas com um corredor de passagem central, criando uma circulação fluida.

      Planta baixa de tiny house, com sala integrada à cozinha e pequeno banheiro.
      A planta das tiny houses são extensas e com circulação central. Fonte: TinyHouse.com

      O interior costuma ser totalmente integrado, apenas com o dormitório localizado em uma espécie de mezanino. Os projetos são pensados em todos os detalhes, unificando ambientes de estar, refeições, serviços, lazer e, até mesmo, trabalho. 

      Interior de residência pequena contendo área de estar, bancada para refeições/trabalho, cozinha pequena e mezanino com dormitório.
      O interior das tiny houses induz a integração entre os ambientes. Fonte: TinyHouse.com

      Essa configuração torna as residências bastante iluminadas, pois os cômodos recebem luz solar de todas as janelas simultaneamente.

      Interior de pequena residência integrando cozinha, jantar e espaço de estar/descanso.
      A integração entre os ambientes favorece o recebimento e iluminação natural. Fonte: Pinterest

      Mobiliário funcional

      O mobiliário guarda muitas surpresas, com móveis multifuncionais que servem para variadas funções. Os degraus das escadas, por exemplo, são aproveitados para armários e gavetas, enquanto as mesas podem ser embutidas nas paredes e o sofá se converter em cama.

      Interior de micro casa, com armários e gavetas aproveitando os degraus das escadas.
      Os móveis multifuncionais proporcionam maior conforto aos moradores das minicasas. Fonte: Minimalist Houses

      Cada espaço das residências é visto como um universo de possibilidades, podendo ser adequado às suas necessidades mais específicas.

      Deck de lazer

      As metragens compactas das residências inspiram a vivenciar mais experiências na parte externa das casas e, por que não dizer, no bairro e na própria cidade.

      Deck externo com ambiente de estar contendo mesa de centro e mais de 4 lugares.
      As metragens compactas valorizam as experiências fora das minicasas. Fonte: TinyHouse.com

      Assim, existe a possibilidade de instalar um deck de lazer na entrada da tiny house. Esse ambiente se torna um espaço de encontros, conversas e relaxamento.

      Residência sobre rodas com deck que também cumpre a função de porta.
      O deck cria inúmeras possibilidades para o seu lazer e conecta o interior da residência ao seu exterior. Fonte: TinyHouse.com

      Essa extensão da residência permite que você receba convidados e até ofereça belos eventos sem preocupações, afinal o espaço da residência não precisa se limitar ao seu interior.

      Infraestrutura ecológica

      Boa parte das tiny houses são pré-fabricadas, o que, por si só, já representa uma economia de material e um menor impacto ecológico. Além disso, recebem infraestrutura para produção total de sua própria energia, captação e, até mesmo, tratamento de águas cinzas.

      Pequena residência sofisticada e com infraestrutura ecológica.
      O mercado das tiny houses está sempre em busca de soluções com baixo impacto ambiental. Fonte: Eco Cabins

      O sistema hídrico e de águas cinzas é outra curiosidade nas minicasas, pois não há necessidade de uma caixa de esgoto convencional. As águas das pias podem voltar para a natureza, quando os moradores utilizam produtos de limpeza biodegradáveis de baixo impacto ambiental e o vaso sanitário pode ser configurado como uma composteira.

      De maneira geral, o mercado das tiny houses é bastante atento à qualidade das residências, para que sejam sustentáveis ​​durante a fabricação, no uso e na reciclagem.

      A vida real em uma minicasa

      Seguindo a tendência do menos é mais, o minimalismo é uma característica forte das minicasas. Portanto, esse estilo de vida não significa abandonar o máximo de coisas possíveis, mas sim fazer escolhas inteligentes que permitam viver com menos preocupações.

      Fotografia de vila com tiny houses lado a lado. Cada uma delas possui fachada em uma cor diferente, criando um conjunto alegre.
      Repensar a moradia pode ser a chave para quem deseja um estilo de vida mais livre. Fonte: Unplash

      As tiny houses também representam uma solução eficiente para o combate a problemas sociais e de moradia. A exemplo disso, a cidade de Portland, nos EUA, conta com comunidades para pessoas em situação de rua, para acolhimento de mulheres e também para homens.

      Cuidados ao escolher viver em uma minicasa

      As minicasas são ótimas opções para quem se adapta facilmente e não tem dificuldades em dividir espaços. Caso contrário, a convivência intensa pode ser um empecilho, gerando uma interferência direta entre as rotinas.

      Interior de pequena residência, com cozinha e banheiro no pavimento inferior e dormitório no superior.
      As minicasas procuram otimizar e descomplicar a maneira de viver, porém, podem não funcionar em algumas rotinas. Fonte: Unsplash

      Os preços de construção são outro aspecto a ser considerado para quem busca uma obra mais barata que as convencionais. Isso porque, apesar de serem obras econômicas, o mercado brasileiro ainda está dando os passos iniciais nesse setor, sendo ainda pouco especializado.

      Para uma casa sobre rodas é preciso entender a legislação de cada localidade, pois, na maioria dos casos, é necessário obter autorização para estacionar em vias públicas. No entanto, há como se acomodar em campings e terrenos preparados para receber esse tipo de moradia.

      Vantagens das tiny houses

      Para muitos, manter uma casa grande pode significar mais despesas, mais trabalho, mais preocupações e menos tempo para fazer o que gosta. Afinal, viver em metragens amplas nem sempre significa ter qualidade de vida.

      Assim, a compactação da residência proporciona muitos benefícios, a começar pelo menor custo de manutenção e pela facilidade de cuidados rotineiros como a limpeza.

      A construção de uma tiny house pode ser muito mais rápida do que a de uma casa convencional, pois funciona como uma obra pré-fabricada. 

      Minicasa em processo de montagem, sem fechamentos laterais.
      As minicasas possuem construção e montagem bastante rápidas. Fonte: The Tiny House

      A sua estrutura convencionalmente é composta por chapas metálicas ou elementos de madeira, que são facilmente transportados e dispensam o uso de concreto para alvenaria.

      Minicasa instalada na praia, com vista para o mar.
      As minicasas representam maior flexibilidade para mudanças. Fonte: Pinterest

      Ter uma tiny house, especialmente sobre rodas, proporciona muita liberdade, afinal você pode escolher morar ora no campo, ora na praia, e viver conhecendo o mundo. Além disso, não é preciso escolher o que levar na mudança, você pode levar a sua casa inteira!

      Está pensando em diminuir o espaço da sua moradia, para uma vida mais compacta? Comece conhecendo opções de apartamentos studio:

      Botão clicável contendo a frase "Aptos compactos são práticos. Conheça studios no Apto!"

      Quer relatar sobre algum erro?

      Avise a gente

      LEIA TAMBÉM
      Posts relacionados
      News do Live

      Cadastre-se grátis e aproveite nossos conteúdos sobre arquitetura, decoração, mercado imobiliário e mais.

      Seu melhor e-mail