Elementos da arquitetura tradicional japonesa que vão te inspirar

    Elementos da arquitetura tradicional japonesa que vão te inspirar
    Vince

    Por Vince

    03 junho 2022

      Os elementos da arquitetura tradicional japonesa que vemos hoje começaram a estar presentes no país durante o Período Edo, entre os séculos XVII e XIX.

      Normalmente, uma casa tradicional japonesa possui uma série de elementos que não existe só para beleza ou funcionalidade, mas, acima de tudo, possui um significado.

      No Japão, as casas tradicionais são chamadas de Minka (民家), que significa “casa do povo”. Embora a arquitetura japonesa tenha se originado a partir da chinesa, as diferenças são gritantes e o país conseguiu seu próprio padrão.

      Contudo, a aparência e o detalhe de tais residências podem ser muito diferentes entre as regiões do país. Em Tóquio, uma cidade transformada pela tecnologia, em um local lotado de informações e movimentos da cultura pop, as casas se tornaram pequenas e funcionais. Assim como mostra o clássico filme Encontros e Desencontros de Sofia Coppola em meio ao choque cultural que existe no país.

       Quioto, a antiga capital do Japão, constitui-se de uma arquitetura quase intocável, que permaneceu durante séculos em uma cidade considerada uma das mais belas do mundo.

      As residências tradicionais possuem alguns termos próprios, como o Genkan, local que os sapatos são deixados antes de entrar em casa, e o Washitsu, uma sala onde podemos tomar chá. Também notamos a presença do Shōji, painéis ou portas de correr que separam os cômodos, como paredes, feito de um material translucido e fino. Por último, o conhecido Tatami, um revestimento de piso, elaborado com palha entrelaçada.

      Todavia, atualmente, os projetos japoneses são conhecidos por serem inovadores, originais e de alta qualidade. Tudo isso, de uma maneira compacta, para ambientes menores e minimalistas. Primeiramente, privilegiando as características japonesas, de modo a se relacionar com o meio ambiente.

      Tais características apresentam elementos e técnicas que enaltecem o antigo, mas emoldam o futuro em um só ambiente. Sendo uma inspiração para qualquer arquiteto, esses recursos podem ser usados em projetos por todo o mundo. Além disso, podem ser divididos em alguns elementos da arquitetura tradicional japonesa que veremos agora.

      Marcenaria

      A madeira é o material mais utilizado na arquitetura tradicional japonesa, pois ele torna a estrutura mais resistente.
      A madeira é o material mais utilizado na arquitetura tradicional japonesa, pois ele torna a estrutura mais resistente. Fonte: Divulgação

      Na arquitetura tradicional japonesa, a madeira é o material mais utilizado em armários, pisos, estruturas, forros, áreas externas e toda a composição do ambiente. A escolha por esse material se tornou unânime pelo país enfrentar constantes terremotos, além de tufões e outros desastres naturais.

      O material torna a estrutura resistente, em um país extremamente úmido durante o verão, mas com um inverno bem rigoroso; por fim, garantindo uma ventilação adequada.

      Um bom detalhe é que nas casas e nos prédios mais tradicionais, a madeira não era revestida por nenhum tipo de pintura. Muito pelo contrário, o material era tão valorizado, por ser sinônimo de qualidade, que tal feito podia esconder sua beleza natural.

      Além disso, santuários e templos também não eram construídos com a ajuda de pregos. Uma vez que as peças eram apenas encaixadas e interligadas, formando uma espécie de quebra-cabeça.

      Para os projetos atuais, vale lembrar que a madeira é um material variado, que pode até ser natural, mas também que permite alguns revestimentos que imitem-na, em um plano sustentável e fácil.

      Acima de tudo, valorizando a sustentabilidade e a conexão com a natureza, o uso de matérias assim mostra o real pensamento do povo japonês e sua conexão com a natureza.

      Cores naturais

      Cores claras são uma das principais características do interior das casas japonesas.
      Cores claras são uma das principais características do interior das casas japonesas. Fonte: Divulgação

      Cores claras, como branco e bege, são uma das principais características do interior das casas japonesas, tudo com muita simplicidade. Além disso, outros tons neutros, como marrom e cinza, são responsáveis por deixar o ambiente acolhedor, agradável e refinado.

      O uso da madeira na composição com tais tonalidades tornam o ambiente amigável, mas muito sofisticado. Tudo isso, com uma boa iluminação, em um ambiente aberto.

      Telhados

      Uma das características mais marcantes da arquitetura tradicional japonesa são os telhados curvos.
      Uma das características mais marcantes da arquitetura tradicional japonesa são os telhados curvos. Fonte: Divulgação

      Os talhados longos e curvados é uma entre as características mais marcantes da arquitetura tradicional japonesa. Embora sejam lindos e atrativos, o seu papel principal é de proteger as janelas das chuvas intensas que o país sofre no verão.

      kawara (瓦屋根), que são as tradicionais telhas japonesas, contém um visual simbólico, mas também serve para proteger as beirais da casa, a fim de que a chuva não entre. Isso, quando o povo japonês abre suas janelas durante um longo dia de verão para tomar um chá. 

      Contudo, existem quatro tipos de talhados na arquitetura japonesa: o kirizuma (telhado de duas águas), yosemune (telhado de quatro águas), irimoya (telhado de quadril) e hogyo (telhado piramidal quadrado).

      Fusuma e Shōji

      Parte interna das casas japonesas antigas.
      Parte interna das casas japonesas antigas. Fonte: Divulgação

      Dentro de uma antiga casa com arquitetura tradicional japonesa sempre existiram os elementos Shōji Fusuma (襖).

      Shōji é um painel ou uma porta de correr que desliza, ele é feito com um papel translúcido (washi) e possui uma moldura de madeira. Tal elemento foi inventado quando ainda não existia o vidro, assim era uma forma de iluminação, que permitia a entrada da luz do sol, enquanto o local era vedado.

      Já o Fusuma também é emoldurado de madeira, mas com um papel ou um tecido opaco, de ambos os lados. Ele é usado para ambientes internos, ou no fechamento dos armários, muito comumente decorado com pinturas que remetem à natureza, aos animais ou à mitologia, portanto não permitindo que a luz entre.

      Apesar das semelhanças e das diferenças, eles são usados em ambientes flexíveis, onde as portas podem ser arrastadas ou retiradas, a fim de uma mudança de disposição. Ainda assim, os dois são bem conhecidos no ocidente para decoração e versatilidade.

      Genkan

      O Genkan é um dos principais elementos da arquitetura tradicional japonesa.
      Genkan é um dos principais elementos da arquitetura tradicional japonesa. Fonte: Divulgação

      Imagem – Divulgação

      Genkan (玄関) também é um dos principais elementos da arquitetura tradicional japonesa, agora na parte interior da casa.

      Uma das tradições mais famosas do Japão é que ninguém pode entrar calçado dentro de casa, mas, para isso, existe um local onde se deve colocar os calçados.

      Genkan fica logo na entrada de casas, apartamentos, escolas, hospitais, hotéis, empresas e muitos outros prédios.

      Esses locais são ligeiramente afundados, um pouco mais abaixo do nível do edifício, como se fosse um degrau abaixo. Essa tradição está ligada ao fato de que não devemos trazer as impurezas da rua para dentro do nosso lar, isso tanto no sentido espiritual, mas hoje em dia como um ato de higiene que deveria ser adotado por todo mundo.

      Tatami

      Imagem do post
      Tatami é uma espécie de esteira que cobre o piso, um revestimento tradicional. Fonte: Divulgação

      Utilizado desde o Período Muromachi, o revestimento tradicional de uma casa japonesa é o Tatami (畳). Uma espécie de esteira que cobre o piso, feito de palha de arroz e junco, usados durante a antiguidade.

      O elemento permanece até os dias de hoje, sendo ainda projetado nas novas residências. Suas bordas são feitas com tecido bordado, e antigamente as casas eram completamente revestidas do material; contudo, hoje em dia, a maioria das residências tem ao menos um quarto ou sala com o material.

      Uma curiosidade bem legal é que no Japão compramos muitas coisas que são medidas pela proporção do tatami, com o padrão de 910 mm x 1820 mm.

      Tapetes e aparelhos de ar condicionado são comprados por tatami. Eles também são uma referência para a medida dos cômodos e da própria casa. Já seu cheiro é amadeirado e suave, e temos que tirar os sapatos de ficar em casa para subir nele.

      Além disso, o material é muito resistente a impactos, e o Judo Tatami (柔道畳) é utilizado para prática de artes marciais.

      Engawa

      Corredor externo constituído por pisos de tatame.
      Corredor externo constituído por pisos de tatame. Fonte: Japan Embassy DC

      Divulgação – Japan Embassy DC

      A palavra Engawa (縁側) significa “lado da borda” e é mais conhecida por ser a varanda das tradicionais casas japonesas. O local é um corredor externo, que percorre toda a residência, constituído por pisos de tatame.

      É um espaço de transição entre a área interna e a externa que geralmente é feito de madeira ou bambu. Contudo, mesmo sendo uma espécie de varanda, o Engawa é considerado uma parte do interior da casa, também sendo necessário retirar os sapatos para acessá-lo.

      Antigamente o espaço foi criado para proteger as residências contra o sol e a chuva. Contudo, hoje em dia se tornou um espaço de encontro entre familiares, ou amigos, que se sentam no local ao admirarem a natureza, lendo um bom livro.

      Muitas vezes, o Engawa também funciona como uma espécie de jardim, ao adicionar flores, um bonsai e pedras naturais.

      Natureza

      Imagem do post
      A relação da parte interna com a parte externa é uma característica da arquitetura tradicional japonesa. Fonte: Divulgação

      O povo japonês foi criado para ter respeito e dar significado e valor à natureza. Os espaços criados devem interagir com o meio ambiente, mas de modo sustentável. Os japoneses trabalham e se relacionam com a natureza sem machucá-la, apenas de maneira harmoniosa. 

      Mesmo sendo um país extremamente populoso, e com uma infinidade de prédios, as casas e os edifícios são reconhecidos como parte da natureza. Sendo tudo isso um enlace entre o natural e o artificial.

      A casa é projetada para que o morador possa admirar a natureza que está perto de si. As janelas e as varandas são abertas e espaçosas, para que a iluminação e a ventilação percorra todo o local, e ainda garanta uma boa vista. Essa medida serviu de inspiração para que arquitetos e designers contemporâneos transformassem novos espaços em um misto de tecnologia, beleza e sustentabilidade.

      Assim, a arquitetura tradicional japonesa e todos os seus elementos são um exemplo do que pode ser feito, principalmente no Brasil, um país de tantas riquezas.

      Gosta da cultura japonesa? Conheça arquitetos japoneses importantes na história:

      Quer relatar sobre algum erro?

      Avise a gente
      LEIA TAMBÉM
      Posts relacionados
      News do Live

      Cadastre-se grátis e aproveite nossos conteúdos sobre arquitetura, decoração, mercado imobiliário e mais.

      Seu melhor e-mail