Conheça os gastos extras ao comprar um apartamento

    Conheça os gastos extras ao comprar um apartamento
    Vince

    Por Vince

    02 março 2016

      Compartilhar esse post

      Além do valor do apartamento, é preciso reservar uma quantia para impostos e documentos, afinal, existem gastos extras ao comprar um apartamento.

      Quem planeja comprar um apartamento deve reservar uma quantia para custos adicionais, em geral relativos a impostos e documentos, os gastos extras ao comprar um imóvel. Os valores mudam de acordo com a modalidade do negócio:

      • À vista ou financiado;
      • Banco;
      • Valor do apartamento.

      No pagamento à vista, a escritura pública é tabelada e depende da localização. No estado de São Paulo, para um apartamento que custa R$ 500.000, a escritura sairá por mais ou menos R$ 3.300 e o registro no cartório de imóveis custará cerca de R$ 2.000.

      DICA: Se a pessoa estiver comprando um imóvel pela primeira vez na vida é possível obter um desconto de até 50% no valor do registro e da escritura, o que varia de uma cidade para outra, o que já facilita na hora de lidar com os gastos extras ao comprar um apartamento.

      Gastos extras: ITBI

      Outro gasto importante é com o Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI). Na compra à vista, equivale a 3% sobre o valor do negócio (R$ 15.000, no caso do imóvel de R$ 500.000).

      Não há gastos extras ao comprar um imóvel com escritura nos financiamentos, porque em termos legais vale o contrato imobiliário feito com o banco. Para imóveis de até R$ 750.000, o ITBI será cobrado de uma forma diferente e fica um pouco mais barato. Aplica-se a alíquota de meio por cento (0,5%) sobre o valor efetivamente financiado, até o limite máximo de R$ 73.256. Sobre o restante do valor, vale 3%.

      Há dois registros em cartório previstos para o imóvel financiado. O primeiro segue o mesmo padrão do imóvel não financiado. Já o segundo, é um valor bem menor. Esse documento registra a alienação fiduciária, ou seja: registra que até a quitação do financiamento o imóvel pertence ao banco, que é o modelo mais comum.

      São cobradas também outras taxas, como a tarifa de assinatura de financiamento na Caixa Econômica onde, para um imóvel de R$ 500.000, ela custará R$ 7.500 no sistema de poupança do FGTS e R$ 5.000 no Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo. Nos bancos privados, existe uma taxa de avaliação do imóvel e análise jurídica no valor médio de R$ 2.200. Por isso, é preciso estar atento aos gastos extras ao comprar um apartamento.

      Na tabela abaixo, confira uma simulação de custos adicionais para compra de um apartamento financiado em São Paulo.

      Simulação de gastos extras ao comprar um apartamento de São Paulo no valor de R$ 500 mil

      Conclusão

      Nessa simulação de um imóvel de R$ 500.000, em São Paulo, a soma de gastos extras ao comprar um apartamento ficou em R$ 19.906,7, via financiamento no banco privado, lembrando que o valor exato do ITBI dependerá da quantia efetivamente financiada.

      A NOTÍCIA RUIM
      Você terá um gasto extra de cerca de 4% do valor de um apartamento de R$ 500.000, totalizando R$ 520.000.

      A NOTÍCIA BOA
      Quem financia um apartamento (quase todo mundo), pode solicitar que o ITBI, o Registro e a Avaliação do Imóvel sejam diluídos no valor total do financiamento, assim você não precisa pagar estes gastos extras ao comprar um apartamento à vista.

      Gostou do conteúdo? Então não deixe de conferir o e-book “Busca e Aquisição de Imóvel: A Jornada”. Assim, você se aprofunda nos detalhes e confere todas as informações necessárias para comprar seu imóvel novo e realizar seu sonho, de forma descomplicada. Confira!

      e-book “Busca e Aquisição de Imóvel: A Jornada”

      Quer relatar sobre algum erro?

      Avise a gente

      LEIA TAMBÉM
      Posts relacionados
      News do Live

      Cadastre-se grátis e aproveite nossos conteúdos sobre arquitetura, decoração, mercado imobiliário e mais.

      Seu melhor e-mail