Confira quais são os prédios mais altos de São Paulo

    Confira quais são os prédios mais altos de São Paulo
    Giovana Costa

    Por Giovana Costa

    12 novembro 2022

    Você sabe quais são os prédios mais altos de São Paulo? Faz ideia quantos metros o prédio mais alto tem? Ou este é um questionamento que nunca passou pela sua cabeça?

    Se for o caso, é compreensível, afinal, existem muitas construções de edifícios na cidade de São Paulo. Conhecida por ser uma grande metrópole nacional, São Paulo é reconhecida por sua infraestrutura, sua tecnologia e seus diversos arranha-céus.

    De acordo com o Conselho de Prédios Altos e Habitat Urbano (CTBUH), por meio do portal Skyscraper Center, existem mais de 150 arranha-céus com uma altura acima de 100 metros na cidade de São Paulo.

    Outro dado interessante é que também existem 17 edifícios com a construção finalizada que possuem uma altura acima de 150 metros. Informações que também contribuem para que São Paulo seja considerada a segunda cidade do Brasil e da América do Sul com o maior número de arranha-céus.

    Confira, a seguir, quais são os prédios mais altos da cidade de São Paulo e conheça quais são as construções futuras que, em breve, também entrarão na lista.

    1. Platina 220

    Prédio Platina 220 - o predio mais alto de sao paulo
    Platina 220, conhecido atualmente como o prédio mais alto de São Paulo. Fonte: O Globo

    Com a sua construção finalizada, e a partir da sua inauguração no dia 5 de setembro de 2022, o Platina 220 passou a ser o prédio mais alto da cidade de São Paulo.

    Localizado na Rua Bom Sucesso, na Zona Leste da capital paulista, o edifício conta com 172 metros de altura, 46 andares e 20 elevadores, sendo seis deles com velocidade aumentada.

    O Platina 220 alcançou o posto de prédio mais alto de São Paulo ao ultrapassar, em dois metros, o décimo primeiro mais alto do Brasil, o até então recordista Mirante do Vale.

    Infográfico mostra como foi projetada a setorização interna do Platina 220, o prédio mais alto de São Paulo.
    Infográfico mostra como foi projetada a setorização interna do Platina 220, o prédio mais alto de São Paulo. Fonte: Exame

    O Platina 220 faz parte de um eixo de novos projetos de desenvolvimento econômico e urbanístico na região, onde serão construídos seis novos edifícios de uso misto. Trata-se do trecho “Eixo Platina”, como ficou conhecido o pedaço do Tatuapé, próximo à Radial Leste.

    Encomendado pela Porte Engenharia e Urbanismo e projetado pelo escritório de arquitetura Königsberger Vannucchi, o empreendimento recebeu o selo de sustentabilidade AQUA-HQE.

    Atualmente, ocupa um terreno de 6.400 m² e conta com 57.000 m² de área construída. Considerado de uso misto, o projeto é composto por apartamentos residenciais, salas comerciais, lojas e um hotel.

    2. Palácio W. Zarzur – Mirante do Vale

    Palácio W. Zarzur, muito reconhecido em São Paulo como o edifício Mirante do Vale, o segundo prédio mais alto de São Paulo.
    Palácio W. Zarzur, muito reconhecido em São Paulo como o edifício Mirante do Vale. Fonte: WZARZUR

    Anteriormente conhecido como o prédio mais alto de São Paulo, até a inauguração do Platina 220, o edifício Palácio W. Zarzur possui 170 metros de altura, 51 andares e mais de 800 salas comerciais, além de um rooftop com espaço exclusivo para a realização de eventos empresariais.

    Localizado na região do Vale do Anhangabaú, possui acesso através de três portarias, uma na Avenida Prestes Maia, outra na Praça Pedro Lessa, além de mais uma que está na Rua Brigadeiro Tobias.

    Conhecido como Mirante do Vale, o arranha-céu é o décimo primeiro prédio mais alto do Brasil. Foi projetado pelo engenheiro brasileiro Waldomiro Zarzur com o arquiteto, também brasileiro, Aron Kogan, e construído com 20 mil m³ de concreto e 5 mil toneladas de ferro. 

    O Mirante do Vale ocupa o segundo lugar na lista dos prédios mais altos de São Paulo.
    O edifício é um marco na cidade de São Paulo. Fonte: WZARZUR

    Em 2002, em homenagem ao seu idealizador e construtor, criaram uma campanha interna para atribuir ao edifício o nome fantasia de W. Zarzur. Com a decisão aprovada em assembleia, o edifício recebeu o nome W. Zarzur como marca empresarial. 

    Sua construção começou em 1960 e sua inauguração aconteceu em 1966 e, até os dias de hoje, é considerada uma das construções mais notórias da cidade de São Paulo.

    Além de toda a história que carrega, o prédio também passa por processos de modernização constantes. Atualmente, oferece coworking e portaria 24 horas.

    3. Figueira Altos do Tatuapé

    Figueira Altos do Tatuapé - o segundo predio mais alto de sao paulo.
    O Figueira Altos do Tatuapé compõe o processo de verticalização da cidade. Fonte: Folha – Uol

    O terceiro prédio mais alto de São Paulo é o Figueira Altos do Tatuapé, um edifício residencial de alto padrão localizado no Tatuapé, na Zona Leste da cidade de São Paulo.

    O prédio foi inaugurado em setembro de 2021, possui 168 metros de altura e 50 pavimentos. Trata-se de uma torre única, com um apartamento por andar e unidades de 337 m² e 594 m².

    O empreendimento conta com piscina coberta, quadra poliesportiva, brinquedoteca, academia, salão de festas, bar, lojas de conveniência, Wi-Fi nas áreas comuns, infraestrutura para ar-condicionado e espaço para home office.

    O Figueira Altos do Tatuapé ocupa o terceiro lugar na lista dos prédios mais altos de São Paulo.
    O edifício também conta com automação. Fonte: Gazeta do Tatuapé

    Sua construção quase foi barrada pelo Plano Diretor Estratégico (PDE) de 2014, já que, na época, a altura dos edifícios que seriam projetados na região deveria ficar limitada a 28 metros.

    Porém, o edifício foi construído assim mesmo, devido ao chamado “direito de protocolo”, pois seu projeto foi aprovado em 2013, antes da sanção do PDE. Hoje em dia, o prédio está na lista, sendo considerado o terceiro mais alto da cidade.

    4. Edifício Itália

    Edifício Itália.
    Não é à toa que o Edifício Itália sempre está presente nas listas de passeios para fazer em São Paulo. Fonte: Refúgios Urbanos

    O famoso Edifício Itália é o quarto prédio mais alto de São Paulo. Inaugurado em 1965, na época, era considerado o prédio mais alto da América do Sul, com seus 165 metros de altura, sendo 151 metros a partir do nível da rua.

    O prédio possui 46 pavimentos, 19 elevadores e 52 mil m² de área construída. Nos primeiros andares existem lojas, e você ainda encontra o Teatro Itália, o Circolo Italiano, o renomado restaurante Terraço Itália e, a partir do 5º andar, o uso é exclusivamente comercial.

    Além de ser um marco histórico na cidade de São Paulo, também é reconhecido pela vista panorâmica que oferece, já que possui frentes para todos os lados.

    O prédio também abarca o Circolo Italiano, uma associação que, desde 1911, reúne membros da colônia italiana da cidade de São Paulo, no Brasil. A sede reúne biblioteca, restaurante, salão de festas, salão de jogos e ainda oferece uma programação com palestras, cursos de italiano e exposições na Galeria Edmondo Biganti.

    Além do restaurante Terraço Itália, localizado na cobertura do Edifício Itália, onde é possível desfrutar delícias da gastronomia italiana e aproveitar uma das mais belas vistas de São Paulo.

    5. Altino Arantes – Banespão

    O Altino Arantes - Banespão ocupa o quinto lugar na lista dos prédios mais altos de São Paulo.
    O edifício Altino Arantes é o quinto prédio mais alto de São Paulo. Fonte: São Paulo Antiga

    Com 161 metros de altura e com uma arquitetura inspirada no Empire States Building, em Nova York, o Edifício Altino Arantes é, hoje em dia, o quinto mais alto da lista, mas ele já foi considerado o prédio mais alto de São Paulo.

    Sua construção foi planejada em 1939 pelo interventor federal Ademar Pereira de Barros. Localizado no centro da cidade, está próximo às ruas São Bento, XV de Novembro e Direita, que, no passado, formavam o centro bancário de São Paulo.

    O objetivo era criar um prédio para sediar o Banco do Estado de São Paulo. O projeto foi feito pelo engenheiro e arquiteto brasileiro Plínio Botelho do Amaral e, posteriormente, adaptado pela construtora Camargo & Mesquita.

    Reconhecido também como “Prédio do Banespa” ou até mesmo como “Banespão”, para os mais chegados, o arranha-céu é um dos pontos turísticos mais famosos da cidade. Além disso, ele carrega muita história em sua estrutura.

    Nos anos 1950, já abrigou a antiga TV Tupi, quando sua torre carregava a antena retransmissora da emissora. Já na década seguinte, em 1960, em uma homenagem ao primeiro presidente brasileiro do banco Banespa, o nome do edifício foi alterado para “edifício Altino Arantes”.

    Já nos anos 1970, o prédio recebeu a icônica bandeira do estado de São Paulo no topo, um dos marcos turísticos na cidade. Em 2000, o prédio foi incorporado ao patrimônio do Grupo Santander, que comprou o Banespa.

    No seu interior, há um detalhe interessante no saguão: o luxuoso lustre de cristal, originário de 1988, que impressiona pelos seus exuberantes 13 metros de altura e suas 10 mil peças de cristal.

    Lustre do Altino Arantes - Banespão.
    O detalhe confere uma entrada imponente ao Banespão. Fonte: Pinterest

    A vista também é um destaque do edifício. Do alto do mirante é possível ter um raio de visão de 360º, que atinge cerca de 40 km. A partir do espaço, é possível localizar o Pico do Jaraguá, a Serra do Mar, além dos prédios da Avenida Paulista e outras construções do Centro.

    Hoje em dia, é possível visitar o prédio e conhecer o museu onde há cerca de 2 mil objetos que fazem parte da história da cultura cafeeira do Brasil e do Banco Hipotecário e Agrícola do Estado de São Paulo.

    6. CENU Torre Norte

    O CENU Torre Norte ocupa o sexto lugar na lista dos prédios mais altos de São Paulo.
    A Torre Norte faz parte de um complexo empresarial. Fonte: SP Corporate

    Localizado na Avenida das Nações Unidas, o projeto da Torre Norte do Centro Empresarial Nações Unidas (CENU) foi lançado pelo escritório Tishman Speyer, em 1996, e projetado pelo escritório de arquitetura brasileiro Botti Rubin.

    O CENU é um complexo comercial situado entre as avenidas Nações Unidas e Luís Carlos Berrini, com entrada principal pela Avenida Berrini, um dos centros empresariais mais renomados de São Paulo.

    O complexo ainda possui uma ligação subterrânea com o complexo empresarial vizinho, o World Trade Center de São Paulo.

    A Torre Norte, a mais alta do complexo, é o sexto prédio mais alto de São Paulo e, além da ligação com as demais torres, também está ligada ao Hotel Hilton e ao Shopping D&D. Até os dias de hoje, o projeto é considerado um dos mais modernos edifícios de escritórios da América Latina. 

    Com 158 metros de altura, 36 andares e 152 mil m² de área construída, funciona como a sede de diversas empresas multinacionais, como: Microsoft, Monsanto, Unilever, Hewlett-Packard, Polycom, Global Village Telecom e Towers Watson, entre outras.

    Outros prédios altos em São Paulo

    Além dos seis prédios mais altos da cidade de São Paulo citados acima, existem outros prédios residenciais que se destacam pela altura.

    Todos com cerca de 157,9 metros de altura, os edifícios Begônias, Ipês, Jabuticabeiras e Limantos completam a lista dos 10 prédios mais altos de São Paulo.

    Aliás, ao conhecer esta lista, surgiu uma curiosidade para descobrir quais são os prédios mais altos do Brasil? Confira quais são os 10 prédios mais altos do Brasil.

    A seguir, você pode conferir um comparativo de altura entre os três primeiros prédios mais altos.

    Os prédios mais altos de São Paulo

    Os três prédios mais altos de São Paulo atualmente são: Platina 220, Mirante do Vale e Figueira Altos do Tatuapé, respectivamente.

    Confira um comparativo abaixo para entender a diferença de altura entre eles.

    Comparativo entre os três prédios mais altos de São Paulo: Platina 220, Mirante do Vale e Figueira Altos do Tatuapé.
    Os prédios mais altos de São Paulo são: Platina 220, Mirante do Vale e Figueira Altos do Tatuapé. Fonte: Live

    Dentre os prédios mais altos de São Paulo, confira suas alturas: o edifício Platina 220, de 172 metros de altura; o segundo mais alto, Palácio W. Zarzur – Mirante do Vale, de 170 metros; e, por fim, o terceiro mais alto, Figueira Altos do Tatuapé, com altura de 168 metros.

    Saiba mais!
    Gostou do conteúdo? Quer descobrir mais sobre a arquitetura dos edifícios no mundo? Então não deixe de conhecer também os prédios mais altos do mundo!

    Categorias
    Giovana Costa
    Conteúdo criado por:Giovana Costa
    Jornalista, apaixonada pela escrita, pela sétima arte e pelo audiovisual.

    Quer deixar um comentário ou relatar algum erro?

    Avise a gente
    LEIA TAMBÉM
    Posts relacionados
    News do Live

    Cadastre-se grátis e aproveite nossos conteúdos sobre arquitetura, decoração, mercado imobiliário e mais.

    Seu melhor e-mail