Truques de decoração que contribuem para o conforto térmico da sua casa

Chegar em casa é um daqueles simples prazeres da vida. 

Nossos objetos pessoais, nosso lugar predileto no sofá, nosso jeito e nossa assinatura impressos em cada canto nos proporcionam uma sensação de aconchego, relaxamento e segurança. Esse sentimento, porém, provém da função primária e essencial da nossa casa: ser abrigo. 

Sofá da sala com uma manta oferecendo um ambiente confortável e aconchegante.

Desde os nossos mais remotos antepassados, fazemos nosso abrigo para nos esconder, nos proteger dos perigos externos e, principalmente, das intempéries climáticas. Por isso é esperado que dentro de casa o clima seja sempre mais agradável do que o ambiente externo. O conforto térmico é a base do bem estar.

Conforto térmico – Corpo e ambiente em equilíbrio 

Conforto térmico é um assunto bastante explorado e discutido por diversos teóricos chegando a ser, em alguns estudos, relativizado por fatores culturais, psicológicos e fisiológicos (gênero, idade…). Mas, em suma, ele existe quando o nosso corpo precisa gastar o mínimo de energia possível para manter sua temperatura. Ou seja, quando não sentimos nem muito frio e nem muito calor, porque nossa temperatura corpórea está equilibrada com a temperatura externa.

Umidade relativa do ar e a velocidade em que o vento se desloca são fatores que interferem diretamente no conforto ambiental mas, de todos, a incidência solar é o mais importante. Tanto, que ela chega a impactar o valor do imóvel. Por isso, conhecer o comportamento do sol e reconhecê-lo no seu imóvel é essencial.

Quarto iluminado pela luz do sol

Arquitetura em função do conforto

São vários os artifícios utilizados no projeto arquitetônico para criar um ambiente confortável do ponto de vista térmico. De todos, a posição da edificação em relação ao sol é talvez a mais relevante. Ambientes orientados para o oeste, onde o sol se põe, recebem muitas horas de sol, e por isso são mais quentes. Já os que são orientados para o sul recebem muito pouco sol no inverno (aqui no hemisfério sul) e, além do frio, podem sofrer com a umidade excessiva. 

Outro trunfo do projeto é a ventilação cruzada. Quando as janelas do ambiente estão posicionadas em paredes opostas ou adjacentes, permitem um fluxo constante de entrada e saída de ar. Além de um clima mais fresco e agradável, a ventilação cruzada eleva a qualidade do ar, que está sempre se renovando.

Há diversos outros elementos de projeto que interferem na temperatura interna das edificações: especificação dos vidros das janelas, brises, vedações, métodos construtivos, forros, revestimentos, altura do pé-direito e outros. Mas a decoração também pode, e muito, ajudar a regular a sensação térmica dos ambientes.

Fachada do Huma Itaim, lançamento no bairro do Itaim Bibi, em São Paulo. Painéis móveis barram o sol e dão personalidade ao prédio.

Listamos alguns truques para aquecer (ou refrescar) sua casa e fazer dela um verdadeiro abrigo. 

Cortinas

A boa e velha cortina tem muito mais a oferecer do que o fator decorativo. Ela pode servir como barreira para a entrada do sol e auxiliar na manutenção do clima fresco dentro de casa.

Mas atenção, o material escolhido conta muito. Tecidos leves são os mais indicados para refrescar, pois barram o sol mas permitem que o ar continue circulando. Enquanto tramas mais fechadas e tecidos pesados retêm calor e bloqueiam a passagem de ar, sendo úteis para aquecer os ambientes muito frios.

Tapetes

Com fibras sintéticas, naturais ou felpudos, os tapetes são sempre ferramentas certeiras na construção de ambientes aconchegantes e acolhedores.

Em lugares quentes, pode-se utilizar o sisal, que exerce sua função sem reter calor. Já os tapetes felpudos, quanto mais espessos, mais calor conferem ao cômodo. Em lugares muito frios, frequentemente o carpete é utilizado para tornar os ambientes internos mais agradáveis.

Tapete de sisal compõe um ambiente aconchegante e ao mesmo tempo fresco

Toldos

Quando há no ambiente uma incidência solar muito superior à desejável, a ponto de comprometer o conforto térmico ambiental, é hora de pensar em barreiras físicas para o sol. Na ausência de brises, que são elementos arquitetônicos posicionados próximos à janela para bloquear os raios solares, toldos pode ser uma boa solução. Sua maior vantagem é a possibilidade de instalação mesmo após a obra ser concluída.

Hoje em dia há modelos para todos os gostos, dos mais tradicionais aos mais modernos. E podem ser abertos e fechados quando houver necessidade. 

Revestimentos

Como o próprio nome diz, o piso frio, como é comumente chamado pisos em cerâmica, porcelanato, mármore e granito, além de facilitar a limpeza por causa da superfície lisa, garante climas internos mais frescos. Por outro lado, o carpete, já mencionado, e a madeira criam um clima mais quente e aconchegante. 

Esse cuidado, porém, vai além dos revestimentos. Os móveis são os que ocupam a maior parte do espaço, por isso, naturalmente, seus materiais também impactam a construção da atmosfera e do clima desejado.

Quarto com revestimento em madeira nas paredes
Projeto: In Town Arquitetura (

http://intown.com.br/

)

Cores

A regra é simples e conhecida por quase todos: cores escuras absorvem e transmitem calor. Por isso, não é aconselhável sua utilização em lugares muito quentes. Tons escuros devem ser reservados à construção de ambientes mais calorosos para fugir dos climas frios.

sala de estar com lareira revestida em pedra, sofá de cor neutra e almofadas amarelas
  Projeto:Katleen Luizaga . Foto:Marcelo Stammer/CASACOR

Plantas

Trazer um pouquinho de natureza para dentro de casa tem muitos benefícios. E além de lindas, as plantas também exercem uma função térmica. Elas retém a umidade e deixam o ar mais fresco, contribuindo para a temperaturas mais amenas. 

Apartamento com muitas plantas, piso queimado e abundante iluminação natural
Projeto: Casa 100 Arquitetura (

https://www.casa100.com.br/

)

Luzes

As luzes do ambiente são parte fundamental de qualquer ambientação. Faça uso dessa ferramenta levando em conta a temperatura da luz. 

As tonalidades mais alaranjadas transmitem a sensação de calor e aconchego. Funcionam para ambientes de longa permanência como sala de estar e dormitórios. 

Sala de jantar com iluminação em tons quentes (alaranjados)

Luzes brancas, levemente azuladas, transmitem uma sensação mais fria e devem ser reservadas a ambientes de curta permanência como cozinha e áreas de serviço. 

A temperatura da luz é medida pela escala Kelvin. Quanto mais baixa, mais alaranjada. 

gráfico de escala kelvin

Embora seja função da arquitetura, é importante saber utilizar a decoração em função do conforto térmico ambiental e fazer da nossa casa o melhor abrigo do mundo.

Mais em Live

Arquitetura
Apartamentos para sonhar: superplantas pelo Brasil

Cinema, suíte com 220 m², sala de estar para funcionários e até vaga de estacionamento dentro da sala. Conheça extravagâncias e superplantas de apartamentos de luxo Brasil afora.   Adolpho Carlos […]

Continue lendo
Arquitetura
Suíte Vollard – QUE PRÉDIO É ESSE?

Se os planos da construção de um prédio giratório em Dubai impressionam, o que você dirá ao descobrir que o primeiro prédio giratório foi construído no Brasil e inaugurado em […]

Continue lendo
Arquitetura
8 dicas que você precisa saber antes de fazer uma reforma

Quando se quer reformar um apartamento, há dois caminhos possíveis: você pode contratar uma empresa especializada, como Decorati e Home Hero, para evitar  preocupações; ou você pode fazer da maneira […]

Continue lendo
Arquitetura
Casa das Rosas – QUE PRÉDIO É ESSE?

Na Avenida Paulista, a mais icônica de São Paulo, há uma lembrança do que foi o glorioso passado cafeeiro da cidade. A Casa das Rosas hoje abriga uma instituição ativa […]

Continue lendo
Arquitetura
Você sabe o que é Retrofit?

Apesar de bastante recorrente no mercado imobiliário e na construção civil, o termo retrofit ainda gera muita confusão. Seria retrofit uma reforma? A restauração de um edifício? Conheça o que […]

Continue lendo
Arquitetura
Edifício Pátio Victor Malzoni - QUE PRÉDIO É ESSE?

Quem passa pela Faria Lima, em São Paulo, e vê o imponente Edifício Pátio Victor Malzoni com seu vão livre de mais de 40 metros de largura a 30 metros […]

Continue lendo