Tudo sobre o sistema Price de amortização

No último post da Série Financiamento, Tabela SAC, falamos dos dois sistemas de amortização mais comuns em financiamentos bancários: SAC e PRICE. 

Vimos que, ao assinar o financiamento, o cliente pode escolher a  tabela que melhor se encaixa ao seu perfil financeiro. Por isso a importância de conhecer como funciona cada um dos sistemas bem como suas vantagens e desvantagens. 

Na tabela do Sistema de Amortização Constante (SAC), as parcelas decrescem gradativamente ao longo do período; o que é vantajoso, pois, quanto antes a dívida for paga, menos juros são cobrados. Por outro lado, muitas vezes essa escolha se torna inviável por conta das parcelas iniciais mais elevadas.

Nesse post nos aprofundaremos no funcionamento da tabela PRICE. Veja a seguir.

Como funciona a tabela PRICE

Na tabela PRICE, o valor da parcela é fixo, igual do primeiro até o último mês de financiamento. Porém, os valores que compõem a parcela (amortização e juros) vão mudando ao longo do período.

Amortização é a fatia da parcela que paga a dívida e diminui o saldo devedor mês a mês. Os juros são sempre cobrados a partir do saldo devedor, por isso começam mais altos e diminuem ao longo do período. 

Assim, para que o valor da parcela seja fixo, enquanto os juros começam mais altos e vão diminuindo, a amortização começa mais baixa e aumenta gradativamente. Isso pode ser observado no exemplo a seguir:

Em um financiamento imaginário no valor de R$ 1 mil, com 3% de juros ao mês, pago em 4 parcelas no sistema PRICE, as parcelas ficariam da seguinte forma: 

Na primeira parcela, os juros são calculados a partir do saldo devedor inicial (3% de R$ 1.000,00), e a amortização de R$ 239,03 completa a parcela de R$ 269,03. 

Os juros da segunda parcela são calculados a partir do novo saldo devedor (3% de R$ 760, 97), correspondendo a R$ 22,83. A amortização de R$ 249,20 completa a parcela, que permanece fixa em R$ 269,03.

Ao final das quatro parcelas, o total pago é de R$ 1.076,12. Esse mesmo valor de financiamento, se pago no mesmo período na tabela SAC, resultaria em um pagamento total de R$1.075,00. Isso porque, na tabela SAC, a amortização constante garante que a dívida seja paga mais rapidamente, reduzindo o valor dos juros.

Vantagens e desvantagens

A diferença do valor total pago torna-se bastante considerável quando esse sistema é aplicado a financiamentos imobiliários. Por isso, o SAC é a melhor opção se analisarmos somente a questão dos juros. 

Por outro lado, pode ser mais fácil se programar e se organizar para assumir um financiamento de longo prazo quando as parcelas são fixas, como na PRICE. 

Além disso, o que mais leva os clientes a optarem pela PRICE é que, quando comparada às primeiras parcelas do SAC, suas parcelas são mais baixas, comprometendo uma parte menor da renda, o que facilita a aprovação do financiamento.

Faça seu dinheiro valer mais

Seja qual for o sistema escolhido, uma boa maneira de fazer o dinheiro render mais é abater uma parte do saldo devedor sempre que possível. Assim se evitam os juros que seriam incididos sobre ele nas próximas parcelas. Além disso, quanto maior o valor pago no ato, a entrada, menos juros são pagos.

Não deixe de esclarecer todas as suas dúvidas no momento de assinar o financiamento. Entenda qual é a melhor maneira de fazer o seu dinheiro valer mais. Caixa, Bradesco, Banco do Brasil, Itaú e outros bancos disponibilizam simuladores on-line para você estudar e descobrir qual é a melhor opção para você.

Quer saber mais sobre financiamento?

Veja as outras matérias que fizemos sobre o assunto:

Financiamento bancário: como funciona?

Programa Minha Casa Minha Vida: Como funciona na prática

Atrasei meu financiamento, o que devo fazer?

Descubra como funciona o sistema SAC de amortização

Mais em Live

Ebook Busca e Aquisição de Imóvel: A Jornada

Quer comprar um imóvel e não sabe por onde começar? Separamos um conteúdo especial para te ajudar nessa jornada!

Quero baixar
Você Apto
Investimentos imobiliários: como funcionam e por que considerar?

Os imóveis estão entre os bens preferidos dos brasileiros. Não apenas ter a casa própria e sair do aluguel, mas também fazer investimentos imobiliários e obter bons lucros no longo […]

Continue lendo
chave do primeiro imóvel
Você Apto
Subsídio Habitacional: o que é e como utilizar

Conquistar a casa própria é a meta de muitas famílias. Essa meta representa sair do aluguel, garantir estabilidade de moradia e ter o seu patrimônio.  Hoje em dia o caminho […]

Continue lendo
Cidade-se
Feira da CEAGESP: O que acontece lá?

A feira da CEAGESP, localizada na Vila Leopoldina, é um local por onde passam mais de 50 mil pessoas por dia e onde são comercializados cerca de 10 mil toneladas […]

Continue lendo
Você Apto
Taxa Referencial (TR): o que é, como funciona e qual o valor

Quando falamos dos setores financeiro e imobiliário no Brasil, são muitos os indicadores que influenciam nosso dia a dia: Selic, CDI, IPCA, e muitos outros. Entre todos, talvez a Taxa […]

Continue lendo
vista exterior da casa da cascata.
Arquitetura
Frank Lloyd Wright — biografia e suas obras

Frank Lloyd Wright, arquiteto, designer de mobiliário, escritor e educador estadunidense, foi um dos arquitetos mais importantes do século XX. Considerado “o maior arquiteto americano de todos os tempos”, segundo […]

Continue lendo
Você Apto
Como comprar um apartamento?

Comprar o primeiro apartamento pode parecer um processo muito complicado, afinal, existem algumas etapas a serem consideradas: procurar um imóvel, definir a forma de pagamento e ainda lidar com toda […]

Continue lendo