Tipos de vinho: desvendando o mundo dos vinhos

O vinho é uma bebida muito consumida em países europeus. No Brasil, ainda é considerada refinada e, muitas vezes, consumida apenas em ocasiões especiais. Mas com variados tipos de vinho, o mercado vem ganhando maior destaque e entrando na vida do consumidor brasileiro.

A relação da humanidade com a bebida é muito antiga. Os primeiros indícios de cultivo de uvas para a produção de vinhos foram encontrados na Geórgia, na região do Cáucaso, datados do período de 7000 a 5000 a.C.

Também foram encontrados na Armênia, por volta de 4000 a.C., prensas e outros equipamentos relacionados à produção de vinho, provando o quanto nossa história está ligada à bebida. 

O consumo de vinho também pode ser um hábito benéfico e saudável. Consumido em quantidades moderadas, pode fazer bem para o coração, ajudando na proteção cardiovascular; também pode auxiliar a mente ao melhorar a memória e proteger os neurônios, entre outros diversos benefícios para a saúde

Tipos de vinho

São muitos os tipos de vinho e podem agradar diversos consumidores, variando desde um vinho tinto até um champanhe. Divididos em algumas categorias, os tipos de vinho podem ser tranquilos, espumantes e fortificados.

Vinhos tranquilos

Os vinhos tranquilos diferenciam-se facilmente dos demais tipos de vinho. Enquanto os outros são determinados pela adição de algum ingrediente específico, estes são diferentes por não se adicionar nada além dos ingredientes comuns. 

Portanto, os vinhos tranquilos são aqueles que não recebem álcool vínico ou gás carbônico. Nessa categoria enquadram-se a maior parte dos vinhos, entre eles tinto, rosé e branco.

Tinto

Vinho tinto, feito com uvas escuras e envelhecido em barril de carvalho.

Os vinhos tintos são elaborados com o suco de uvas tintas. Durante o processo de fermentação, o líquido fica em contato com a casca da uva. Com diferentes estruturas, que podem ser de leves a encorpadas, amadurecem em barris de carvalho para destacar suas características. São vinhos que acompanham bem comidas gordurosas e carnes vermelhas.

Rosé

Vinho rosé, feito com uvas tintas é ideal para meses quentes.

Os vinhos rosés podem ser fabricados de três maneiras, mas a técnica de produção mais famosa e utilizada é a tradicional, que elabora o vinho com o suco de uvas tintas, mas diminui o tempo de contato com a casca durante o processo de fermentação. São o tipo de vinho ideal para os meses mais quentes, por serem frescos e com acidez. Acompanham muito bem peixe, frutos do mar, pizza e massas com molhos mais frescos ou de tomate.

Branco

Vinho branco com coloração amarelada, fresco e frutado feito para consumir gelado.

Diferentemente do que parece, os vinhos brancos podem ser fabricados com uvas brancas e também com uvas tintas. Para isso, as uvas tintas devem ter suas cascas removidas antes de começar o processo de produção. É um vinho leve, fresco e frutado, por isso deve ser consumido em temperaturas mais baixas. É o acompanhamento ideal para pratos leves, como saladas, peixes, frutos do mar e aves. 

Vinhos espumantes

A classificação desses vinhos é proveniente da presença de uma quantidade de dióxido de carbono em sua composição, podendo ser espumante ou frisante.

Espumante

Espumante pode ser feito com várias uvas e harmoniza com frutos do mar e peixe.

Pode ser branco, tinto ou rosé, e produzido com uvas brancas ou tintas. O diferencial desse tipo de vinho está no método, em que ele passa por duas fermentações: a primeira ao transformar a uva em vinho, e a segunda, que pode ocorrer antes ou depois de engarrafado, em que se formam as bolhas de gás carbônico. Os espumantes são bebidas versáteis de serem harmonizadas, mas combinam perfeitamente com salmão e lagosta.

Frisante

Frisante é uma bebida muito versátil  e passam por um único processo de fermentação.

Diferentemente dos espumantes, que conseguem o gás carbônico no processo de fermentação de maneira natural, o frisante tem o gás introduzido no momento da fermentação, assim possui menos gás que os espumantes. 

Vinhos fortificados

Garrafa de vinho fortificado, uma bebida que possui alto teor alcoólico.

São o tipo de vinho que, ao final do processo, é adicionada uma quantidade extra de álcool vínico para interromper seu processo de fermentação. Esses vinhos apresentam um teor alcoólico maior, entre 15% e 22%. Um ótimo exemplo de vinho fortificado é o famoso Vinho do Porto.

Classificando os tipos de vinho

Por ser uma bebida fina, o vinho apresenta uma estrutura específica que o classifica em padrões que facilitam o direcionamento do consumo. Essa estrutura é composta por cor, classe, teor de açúcar e o tipo de uva usado na produção da bebida. 

Cor 

Os vinhos podem ser encontrados no mercado com três colorações, as quais estão diretamente relacionadas à uva utilizada na produção. Os vinhos tintos são produzidos com uvas tintas e ficam em contato por um tempo maior com a casca da uva; os vinhos rosés também são elaborados com uvas tintas, mas permanecem pouco tempo em contato com a casca da uva; por fim, os vinhos brancos podem ser elaborados com uvas brancas ou tintas sem casca. 

Classe

Já a classe dos vinhos está relacionada à porcentagem de álcool na bebida, sendo classificados em: 

  • Vinhos de mesa: com 8,6% a 14% de álcool, podendo variar entre finos, nobres, especiais, comuns, frisantes ou gaseificados;
  • Vinhos leves: com 7,5% a 9% de álcool;
  • Champanhe: um espumante com 14% a 18% de álcool;
  • Vinhos compostos: preparados com a adição de substâncias de origem animal ou mineral, com 14% a 20% de álcool; 
  • Vinhos licorosos: vinhos com aspecto de licor, com 15% a 18% de álcool.

Teor de açúcar

Outro fator muito importante é o teor de açúcar, expresso em gramas por litro. São divididos em:

  • Vinho seco: produzido com até 5 gramas de açúcar por litro;
  • Vinho meio seco: produzido com 5 a 20 gramas de açúcar por litro;
  • Vinho suave: produzido com mais de 20 gramas de açúcar por litro.

Tipo de uva

A uva é o principal ingrediente da produção de todos os tipos de vinho. Cada tipo de uva tem características específicas, desde o local onde são produzidas até o tempo de barril, que dão sabores e aromas ao vinho. Por isso, é muito importante conhecê-las para entender como escolher o melhor vinho para você.

Cabernet Sauvignon

Cabernet Sauvignon, uma uva que facilmente adaptável por isso é cultivada em diversos países.

A uva Cabernet Sauvignon é a mais utilizada para produzir vinhos tintos no mundo todo, pois é uma uva que se adapta e desenvolve facilmente em diferentes terrenos. Assim, deixou de ser exclusiva de sua região originária, Bordeaux, na França, e adaptou-se a diversos países, como Chile, Argentina, Estados Unidos, África do Sul, Nova Zelândia e até mesmo Brasil.

Conhecida como “rainha das uvas tintas” por sua popularidade, a uva cabernet sauvignon produz vinhos encorpados, com taninos equilibrados e aroma intenso. É uma uva muito boa para ser envelhecida na garrafa. Harmoniza bem com carnes vermelhas, massas, queijos amarelos e molho madeira. 

Carménère

Carménère, uma uva excelente para produzir vinhos tintos e rosés.

Também originária de Bordeaux, na França, a uva Carménère atualmente é muito conhecida pelo cultivo no Chile, país considerado o popularizador e melhor produtor desse tipo de vinho. É usada para produzir vinhos tintos e rosés, que são bastante encorpados, com taninos marcantes, sabor frutado e aroma levemente apimentado. Harmoniza muito bem com peru assado, saladas, queijos parmesão e muçarela, massas com molho vermelho e azeitona.

Malbec

Malbec, a uva produz vinhos com características muito aromáticas.

A uva Malbec popularizou-se e fez sucesso através de seu grande e atual produtor, a Argentina, considerada a melhor fabricante de rótulos com essa uva. Mas, como outras várias uvas, teve sua origem na França, mais precisamente na região de Cahors. 

O vinho feito com essa uva tem características bastante aromáticas, com leve sabor de especiarias e flores, que harmoniza perfeitamente com carnes vermelhas e pratos que utilizam temperos marcantes, como pimentão, alho e cebola.

Merlot

Merlot, uma uva muito cultivada em países mais quentes.

Outra uva francesa de grande destaque na produção de vinhos é a uva Merlot, também originária de Bordeaux, muito cultivada em regiões mais quentes e em países como  Chile, Estados Unidos, Brasil e Argentina. 

Essa uva é responsável por produzir vinhos fáceis de consumir, mas encorpados e com aroma e sabor frutados, sendo o tipo de vinho ideal para ser consumido ainda jovem. Harmoniza com carnes magras, massas e risotos com tomate ou funghi e queijos de média maturação.

Pinot Noir

Originária da região de Borgonha, na França, a uva Pinot Noir é a mais utilizada na produção de vinhos franceses. Com ela se produz vinhos tintos,  champanhes e espumantes. 

Por ser uma uva mais sensível, que necessita de um ambiente frio e seco e tem uma casca muito fina, é delicada e difícil de se adaptar em novos lugares, características que tornam raro encontrar cultivos de Pinot Noir fora da sua região de origem. A uva permite elaborar um vinho com pouco tanino, sendo mais suave, leve e delicado, harmonizando muito bem com comida francesa, carne assada, vegetais cozidos e risotos.

Syrah

Syrah, produz vinhos de cor intensa,  levemente frutados com aroma de especiarias.

A uva Syrah é originária do Vale do Rhône, na França, e adaptou-se muito bem em outros países, como Austrália, Espanha e Argentina. Com um sabor levemente frutado, aroma de especiarias e cor intensa, o vinho harmoniza muito bem com ragu, massas, hambúrgueres e chocolate meio amargo.

Tannat

Vinda do sudoeste francês, a uva Tannat ficou muito conhecida por seu cultivo no Uruguai, que produz ótimos rótulos. A uva faz vinhos com coloração marcante, bastante encorpados, com taninos fortes e que precisam de um tempo de envelhecimento para se tornarem mais suaves.

Tempranillo

Tempranillo, vinhos com essa uva passam por um rápido processo de envelhecimento.

De origem espanhola, a uva Tempranillo tem como bons produtores países como Portugal e Argentina. Os vinhos feitos com essa uva passam por um curto processo de envelhecimento, sendo classificados como vinhos jovens, de corpo médio, com sabor frutado e aroma de especiarias e ervas. Harmoniza com carnes vermelhas, queijos mais duros, pratos com molhos picantes e vegetais grelhados.

Chardonnay

Muito famosa na produção de vinhos brancos e espumantes, a uva Chardonnay é francesa, especificamente da região da Borgonha. Com aroma de frutas cítricas e especiarias, o vinho dessa uva é macio, encorpado e elegante, fácil de agradar o paladar, e harmoniza com diversos alimentos, como queijos, saladas, aves, peixes, frutos do mar, massas com molhos cremosos ou à base de queijos e até mesmo sobremesas com leite e frutas.

Sauvignon Blanc

Sauvignon Blanc, a uva mais famosa na produção de vinhos brancos.

A uva Sauvignon Blanc também é muito famosa na produção de vinhos brancos pelo mundo. Também originária da França, o grande destaque atual na produção dessa uva é a Nova Zelândia. 

Origina um vinho encorpado, de boa acidez, suave, muito aromático e fresco, perfeito para momentos de descontração. Harmoniza muito bem com carnes brancas, peixes, frutos do mar, saladas, massas com molho cremoso ou que acompanhem vegetais e queijos leves.

Touriga Francesa

Touriga Francesa, uma uva utilizada para produzir o famoso vinho do Porto.

Muito utilizada em Portugal, a uva Touriga Francesa produz o vinho português mais famoso do mundo, o vinho do Porto. Produzido na região do Vale do Douro, o vinho do Porto tem boa coloração e bons taninos, devendo envelhecer no barril por pelo menos três anos.

A grande diferença do vinho do Porto para os demais vinhos está no sabor adocicado e no teor alcoólico um pouco maior, características decorrentes da adição de aguardente de vinho durante o processo de fermentação da bebida. Esse vinho pode ser fabricado também com outras uvas ou até mesmo com uma mistura delas, mas a mais famosa na produção é a uva touriga francesa. Harmoniza muito bem com frutas secas, queijos azuis e semiduros e receitas com chocolate.

Consumindo os tipos de vinho

Por ser uma bebida que apresenta diversos tipos e características específicas, o vinho tem algumas orientações para o seu consumo, a fim de que se aproveite  a bebida da melhor forma possível.   

Escolha a taça certa 

Taças para vinho com variados tamanhos organizadas em suporte.
Variadas taças para vinho. Fonte: Unsplash

As taças de vinho são desenvolvidas com formato e tamanho específico para o tipo de vinho, a fim de ressaltar as melhores características de cada um. Por isso, se você pretende apreciar um vinho da melhor maneira possível, escolha a taça correta.

Deixe os diferentes tipos de vinho na temperatura correta 

A temperatura é um fator que pode interferir na degustação do vinho, portanto, servi-lo na temperatura ideal é a melhor maneira de aproveitá-lo. Os vinhos tintos ficam melhores servidos à temperatura ambiente, entre 10 ºC e 20 ºC; os vinhos rosés são melhores em uma temperatura entre 8 ºC e 12 ºC; os vinhos brancos geralmente são consumidos mais gelados, entre 5 ºC e 10 ºC; e os espumantes geralmente são consumidos mais gelados, por volta de 6 ºC.

Que quantidade servir? 

Servir a quantidade correta de vinho garante que a temperatura permaneça correta durante o consumo. Assim, é importante lembrar que, para vinhos tintos, se deve  servir ⅓ da capacidade da taça; para vinhos brancos e rosés, ⅔ da capacidade da taça; para espumantes, ¾ da taça tulipa. 

Harmonize com os alimentos certos

Prato com posta de salmão, aspargos, cebola roxa e romã, harmoniza com espumantes.
Prato com salmão que harmoniza perfeitamente com espumante. Fonte: Unsplash

Cada tipo de vinho tem aromas e sabores específicos, que ficam melhores ao serem combinados com certos alimentos. Então, sempre que possível, procure consumir o vinho com o alimento ideal, dando um grande destaque aos sabores.

Agora é só consumir

Depois de conhecer os tipos de vinho, suas características e as dicas que ajudam a consumi-los da melhor maneira, só falta escolher o seu. 

Mais em Live

Ebook Busca e Aquisição de Imóvel: A Jornada

Quer comprar um imóvel e não sabe por onde começar? Separamos um conteúdo especial para te ajudar nessa jornada!

Quero baixar
Sala de estar com painel para TV
Dentro de Casa
Painel para TV: um mobiliário versátil para todos os cômodos

O painel para TV é um mobiliário que começou a ser muito utilizado com a mudança das televisões para aparelhos mais finos e leves, assim esse objeto funcional apareceu como […]

Decoração para banheiro: dicas criativas com madeira, higiene e criatividade!
Decoração
Conheça ideias criativas de decoração para banheiro

Muitas vezes subestimada, a decoração para banheiro é fundamental não somente para a estética do cômodo, mas também para o conforto dos moradores. Confira dicas para decorar o ambiente. No […]

Cidade-se
25 de Março – Que rua é essa?

A rua 25 de Março (Rua Vinte e Cinco de Março) é conhecida como o maior centro comercial da América Latina. Repleta de lojas, visitantes, produtos e variedade, atrai milhares […]

imagem de de capa com importantes autores e obras do movimento High-Tech, são eles: Renzo Piano, Richard Rogers, Norman Foster, Centro Pompidou, Edifício Lloyd's e a cobertura do Palácio de Reichstag.
Arquitetura
Estilos Arquitetônicos: High-Tech

High-Tech ou alta tecnologia foi uma corrente de pensamento na qual as inovações tecnológicas foram entendidas como potencial para facilitar o cotidiano, em diversos níveis. Assim, o movimento trouxe uma […]

Entenda como funciona o rodízio de veículos em São Paulo
Cidade-se
Entenda como funciona o rodízio de veículos em São Paulo

O rodízio de veículos em São Paulo, chamado Programa de Restrição ao Trânsito de Veículos Automotores no Município de São Paulo, é regulamentado pela Prefeitura Municipal de São Paulo (PMSP) […]

Decoração
Molduras de gesso: o que é, tipos, como utilizar e dicas

Em ambientes interiores, bons acabamentos são essenciais, afinal são estes que brindam os espaços com sofisticação, estilo e colaboram para uma maior e melhor vida útil dos materiais que compõem […]