Quarto montessoriano – como a decoração pode incentivar a autonomia das crianças

Mais do que um visual da moda, o quarto montessoriano propõe a construção de um ambiente que promova a curiosidade, a liberdade e a independência.

Crianças têm liberdade para brincar no quarto montessoriano.

Febre entre as mamães celebridades, o quarto montessoriano é a grande tendência no mundo da decoração infantil. Com clima acolhedor e divertido, o estilo tem atraído adeptos que, muitas vezes, desconhecem seus significados e fundamentos enraizados na metodologia de ensino montessori.

Criado em 1907 pela médica e pedagoga italiana Maria Montessori, o método coloca a criança no protagonismo da sua educação, de maneira que desenvolva sua autonomia e independência.

“Qualquer ajuda desnecessária é um obstáculo para o desenvolvimento.”

A pesquisadora acreditava que a educação é uma conquista da criança e que nós nascemos com capacidade para ensinarmos a nós mesmos quando nos são dadas condições. Esse é o objetivo do quarto montessoriano: ajudar a criança a se desenvolver e se expressar dando-lhe confiança e respeito.

Quem foi Maria Montessori

Em 1896, Maria Montessori foi uma das primeiras mulheres a se formar em medicina na Itália. Teve seus estudos direcionados à educação de crianças com debilidades intelectuais e defendia que a principal causa do atraso no aprendizado dessas crianças era a ausência do estímulo adequado.

Montessori se formou em pedagogia e passou a se dedicar integralmente à educação. Utilizou seus conhecimentos na criação de uma metodologia educacional para uso além da psiquiatria. Hoje, o método está presente em escolas públicas e privadas ao redor do mundo.

“Ajude-as a fazer sozinhas”

Decoração segundo a metodologia montessori.

O objetivo central da metodologia Montessori é estimular a autonomia da criança, dando-a condições de se desenvolver e aprender sem a dependência de um adulto.

Segundo a visão pedagógica de Montessori, as crianças trazem dentro de si o potencial criador e de aprendizado. Cabe a nós criarmos um ambiente livre que estimule a descoberta e o auto-aprendizado.

O quarto montessoriano

A pesquisadora italiana defendia que o caminho do intelecto passa pelas mãos, porque é através do movimento e do toque que as crianças exploram e decodificam o mundo ao seu redor.

Barra e espelho são fundamentais no quarto montessoriano.

Atividades sensoriais e motoras dão vazão à tendência natural de tocar, manipular, conhecer e aprender. Características que, segundo Montessori, são inerentes às crianças.

Assim, a decoração montessoriana promove, através de um cenário lúdico, os principais pontos defendidos pela metodologia. São eles:

Liberdade para se descobrir capaz

A cama é o ítem mais famoso do quarto montessoriano e tem conquistado muitas mães pelo visual. Casinha, cabaninha, com cerquinha, pisca-pisca…São diversos os modelos que o mercado oferece. Porém, o que muitos não sabem, é o conceito por trás da peça. O colchão na altura do chão permite que a criança, mesmo em seus primeiros meses, consiga subir e descer da cama sem precisar solicitar a ajuda de um adulto. Isso ajuda na percepção da sua capacidade de independência.

Colchão no chão estimula a autonomia
Colchão no chão estimula a autonomia.

“Os pais que procuram esse tipo de projeto, valorizam a independência de seus filhos e os fazem mais preparados para o futuro”, diz a arquiteta Flávia, do Ludco.arq.
Ela conta que cama foi o primeiro ítem pensado para o quarto dos irmãos Lucca e Nicole: “dá muita liberdade para a criança, permitindo que ela deite e levante sem maiores complicações, além disso, a cama em formato de casinha traz um aspecto lúdico e instiga a imaginação dos pequenos”.

Projeto de quarto montessoriano do Ludco.arq
A pintura geométrica com cores suaves cria uma atmosfera alegre e propícia a brincadeiras (Projeto: Ludco.arq).

Para não pegar a friagem do chão, o colchão pode ser apoiado sobre uma peça de madeira ou MDF. Almofadas e rolinhos de tecido protegem para que crianças muito pequenas não rolem ou caiam para fora da cama no meio da noite.

O quarto deve oferecer um espaço para livre locomoção da criança, portanto, deve-se evitar o excesso de móveis e obstáculos.

Espaço do quarto montessoriano deve inspirar a descoberta e a liberdade
Espaço deve inspirar a descoberta e a liberdade.

Incentivo à autonomia e independência

O quarto montessoriano é feito para crianças, não para adultos. Ou seja, todo o mobiliário deve estar na altura da criança, em uma escala que a permita exercer sozinha todas as atividades.

Projeto Ludco.arq, caixas de armazenamento na altura das crianças
No quarto assinado pelo Ludco.arq as caixas de armazenamento ficam no chão, permitindo livre acesso das crianças.

Aos menores, é indicado o uso de barras fixadas à parede para dar apoio aos primeiros passos.

Barras devem ser fixadas próximas aos espelhos
O ideal é fixar a barra próxima a espelhos.

Para as crianças maiores, roupas devem ser penduradas e armazenadas em altura acessível, para que ela possa participar da escolha das peças.

móveis baixos garantem autonomia na hora da brincadeira
Móveis baixos garantem autonomia na hora da brincadeira.

Encorajar descobertas estimula o aprendizado

Segundo a metodologia montessoriana, o espelho exerce uma função central no quarto infantil. Fixado, de preferência, perto da cama, mas sempre na altura da criança, ele permite que a criança se observe e se reconheça como indivíduo, não mais como uma continuação da mãe. Essa descoberta é essencial para o desenvolvimento da sua autonomia.
O tapete, além de estabelecer espaços de uso, também estimula o toque e os sentidos dos menores.

o espelho exerce uma função central na metodologia montessori
O espelho exerce função central na metodologia montessori.

Para manter a novidade, é indicado que haja um rodízio dos brinquedos a cada quinze dias. Quando a criança tem muitas opções à disposição pode ficar dispersa e acabar não despendendo tempo e nem foco para a construção de uma brincadeira mais longa com nenhum dos objetos. A mesma regra vale para os livros.

livros e atividades na altura das crianças é um estímulo ao aprendizado constante
Livros e atividades na altura das crianças é um estímulo ao aprendizado constante.

Alguns condomínios se destacam pelo cuidado e atenção às áreas destinadas aos pequenos moradores. É o caso do Vanguarda, localizado na região Oeste de são Paulo. Sua brinquedoteca proporciona, na escala da criança, espaços que estimulam a inventividade e imaginação, como o mini teatro e mini restaurante. A brinquedoteca do Residencial Botânica recria uma pequena cidade com direito à ruas, semáforos e mini mercado.

Atenção aos detalhes

Para evitar acidentes, é necessário garantir que todos os móveis estejam estáveis e fixados, livres de tombamentos. Atenção especial também às quinas, quando não forem arredondadas, devem ser protegidas. Assim como as tomadas. Se não puderem ser escondidas atrás dos móveis, há diversos modelos de proteção disponíveis no mercado para evitar o contato da criança.

Em quadros, tampos e outros objetos, é recomendável a substituição do vidro por acrílico.

Para a segurança da criança quanto menos obstáculos, melhor
Para a segurança da criança quanto menos obstáculos, melhor.

Na maioria dos casos, não é possível replicar o ambiente de liberdade com segurança em todos os cômodos da casa. Por isso, vale a instalação de gradinhas de proteção nas portas.

Tapetes proporcionam experiência sensorial aos pequenos
Tapetes proporcionam experiência sensorial aos pequenos.

Além do visual bonitinho, a decoração montessoriana propõe a construção de valores e capacidades que serão úteis à criança até a idade adulta. A metodologia educacional de Maria Montessori não se restringe ao acúmulo de informações. O objetivo é a formação integral do jovem. Uma educação para a vida.

Mais em Live

Arquitetura
ONGs que criam moradias e condições para viver melhor

Nós do Live temos o lema “More bem, viva melhor”, mas e as pessoas que sequer possuem onde morar? O Brasil tem 15 milhões de pessoas vivendo em situação de […]

Continue lendo
Arquitetura
Para ganhar espaço e ver o mundo - Quando a janela rouba a cena

A janela! Pode ser um item corriqueiro, muitas vezes despercebido, mas já inspirou milhares de canções (você vai se lembrar de alguma). Se observadas do ponto de vista poético, as […]

Continue lendo
Arquitetura
Loft, studio, kitnet… O que caracteriza cada tipo de apartamento?

O mundo do mercado imobiliário pode ser um pouco confuso para quem está começando a busca por um imóvel. Muitos termos utilizados com frequência não ficam muito claros para quem […]

Continue lendo
Arquitetura
Ohtake Cultural - QUE PRÉDIO É ESSE?

Em 2001 a cidade de São Paulo ganhou um ícone inconfundível. Até hoje, as cores e formas do Ohtake Cultural instigam e despertam a curiosidade transeuntes. É possível que você […]

Continue lendo
Arquitetura
Desvende de uma vez por todas a certificação LEED

Talvez você já tenha lido ou ouvido esse nome em algum lugar. Você sabe que é uma coisa boa, porque é relacionado a sustentabilidade, mas não entende direito quem concede […]

Continue lendo
Arquitetura
Desmistificado: Fachadas de vidro em residenciais

O uso do vidro na arquitetura é uma prática bem antiga. No Renascimento, quando era um material caríssimo, ele foi usado na construção de residências para mostrar poder e status […]

Continue lendo