Horta comunitária: o que é, como funciona e seus benefícios

Voluntários trabalhando na horta comunitária.

As hortas comunitárias são artifícios utilizados para transformar uma comunidade; essas melhorias vão desde fortalecer a relação de um grupo de pessoas com o espaço onde vivem até criar uma atividade que funcione como uma renda a quem necessita. 

O ambiente da horta também se transforma em um espaço de encontro no qual os moradores possam aprender, trocar experiências e se socializar, proporcionando um ponto de convívio entre os integrantes da comunidade. 

O que é horta comunitária? 

O espaço da horta comunitária sendo cuidado por voluntários.
O espaço da horta comunitária é mantido por voluntários de uma comunidade. Fonte: Pinterest

As hortas comunitárias são hortas coletivas responsáveis pela produção de alimentos através do trabalho voluntário de alguns indivíduos de uma comunidade ou uma região. 

Muitas vezes são utilizadas para resolver problemas sanitários de algumas áreas da cidade, já que empregam um uso a terrenos baldios ou subutilizados, criando um ponto verde em uma região, além de darem vida a bairros com uma área destinada ao plantio, oferecendo bem-estar a toda comunidade.

Mas as hortas comunitárias também podem servir como uma maneira de transformar um grupo de pessoas e implantar hábitos melhores. Com uma área para plantação livre de agrotóxicos, os alimentos são ricos em nutrientes e se tornam mais saudáveis. 

Para evitar doenças e combater a obesidade, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda comer cinco porções diárias de frutas, verduras e hortaliças, pelo menos cinco dias na semana. Quando a horta se torna parte do dia a dia de um grupo de pessoas, hábitos alimentares melhores são estimulados e se tornam parte da rotina dos moradores.

Além de criar um hábito mais saudável, a prática auxilia na imunidade do organismo, ajuda a evitar a subnutrição e contribui no combate de doenças como a hipertensão e o diabetes, proporcionando uma alimentação rica e uma vida mais equilibrada.  

A horta comunitária também pode funcionar como uma fonte de renda, já que os produtos produzidos podem ser comercializados ou, até mesmo, trocados por outras mercadorias. Todo o lucro pode ser dividido como a comunidade desejar, optando assim por um rateio igualitário entre membros ou priorizando pessoas que estejam desempregadas ou em situação de maior vulnerabilidade.

O espaço proporciona diversos benefícios físicos e mentais aos seus envolvidos. Ao deixar a natureza em evidência e inseri-la no dia a dia das pessoas, a conscientização da preservação ambiental é trabalhada e se torna parte da comunidade, criando um vínculo forte e consolidado entre as pessoas e a natureza.

Além disso, a horta funciona como uma área de convívio social, em que diversas interações acontecem como trocas de experiências, ensinamentos e até momentos de descontração entre os voluntários.

Dessa forma, a horta comunitária pode ser utilizada para resolver diversos problemas existentes em uma comunidade, criando um conjunto de atividades que proporciona uma conexão entre cidade, pessoas e natureza, garantindo o bem-estar de todos os seus integrantes.

Como funciona todo o processo? 

Plantação em canteiros.
Plantação em canteiros divididos por produções. Fonte: Pinterest

Com objetivos que visam à comunidade de uma região, as hortas comunitárias geralmente são feitas em áreas públicas da cidade, em espaços subutilizados que dão lugar à produção de alimentos, mas, com a popularização desse conceito, muitos condomínios residenciais adotaram a prática com uma proposta muito parecida com a original.

O processo  é feito por voluntários que ajudam na organização e nos processos de plantio dos alimentos. A horta geralmente produz produtos de ciclos curtos e que podem ser facilmente consumidos ou vendidos, portanto tipos variados de plantas podem ser cultivados, sendo os mais comuns: hortaliças, leguminosas, frutas, plantas com propriedades medicinais e até mudas.

A horta comunitária pode funcionar de diversas maneiras, o tipo mais comum é uma horta compartilhada em que um cronograma de trabalho define quem vai trabalhar em cada espaço e o que será plantado. Mas, em alguns casos, cada família envolvida no projeto pode ficar com uma área própria destinada ao plantio individual, tendo, assim, a liberdade de escolha do que será plantado. 

Criadas em terrenos ociosos, essas hortas, muitas vezes, funcionam com uma parceria com empresas e até com um suporte de entidades educacionais com foco em produção de alimentos, assim uma ajuda especializada permite que todos os processos sejam realizados corretamente, além de, em alguns casos, ofertarem cursos profissionalizantes à comunidade.

De modo geral, as hortas comunitárias não utilizam nenhum tipo de insumo químico ou veneno no plantio dos alimentos, pois a forma de cultivo visa a respeitar a natureza e os seus processos. Toda a atividade, portanto, deve ser realizada de maneira coletiva e o ambiente estar atrelado sempre a uma educação e conscientização ambiental.

Como fazer uma horta comunitária?

Canteiros de diferentes espécies de hortaliças.
Mesmo em um espaço urbano, diversas espécies de legumes, hortaliças e frutas podem ser plantadas. Fonte: Pinterest

Muito utilizada em bairros ou até em condomínios residenciais, a horta comunitária é um artifício para dar uso a espaços esquecidos que podem se tornar uma área verde que só oferecerá benefícios aos moradores. 

Depois de entender como a horta funciona, é normal que você fique animado e até pense em começar uma na região onde você mora. Então para não ficar perdido, confira um passo a passo e dicas que podem te ajudar a criar uma horta comunitária para você e para seus vizinhos!

Pesquise sobre o assunto

A empolgação pode ser muita quando você decide começar um projeto assim, mas não tenha pressa. Antes de decidir passos importantes a serem tomados, pesquise sobre tudo, como os processos funcionam, possíveis parceiros, informações sobre o plantio e tudo o que está envolvido na horta.

Pesquise sobre projetos parecidos e seus processos; buscar também por hortas comunitárias na sua cidade ou no seu bairro também vai te ajudar a se estruturar melhor e decidir por onde começar.  

Entre em grupos que trocam experiências, informações e conhecimentos sobre hortas comunitárias, assim você começa a fazer uma rede de contatos a qual vai te ajudar com questões que podem surgir, divulgação do trabalho e muito mais.

Engaje pessoas

Na horta comunitária, a ideia é que os próprios moradores se envolvam nos processos de produção, desde as fases iniciais, como a preparação da terra para o plantio, até a parte da colheita.

Então para todo o sistema funcionar é importante que sua comunidade esteja mobilizada e engajada no assunto. Para isso acontecer, converse com seus vizinhos sobre a ideia, mostre outros projetos como exemplo e fale sobre todos os benefícios que essa área vai proporcionar para a região, contagiando todos com a ideia de que o trabalho vai se desenvolver bem melhor.

Procure o local perfeito

As hortas comunitárias geralmente são feitas em terrenos públicos que estão ociosos ou sendo subutilizados. Para a horta ocupar esse terreno e um uso começar a ser feito nessa área, você vai precisar primeiro procurar uma secretaria dentro do seu município, despertando interesse no projeto. 

Buscar uma ajuda em entidade não governamental ou uma associação que esteja ligada a projetos relacionados ao meio ambiente ou à alimentação também vai te ajudar a criar uma rede de conexões que pode facilitar todo o processo e garantir que sua horta comunitária tenha um bom terreno para o trabalho ser iniciado.

Crie regras e um cronograma

Para um trabalho gerar bons frutos, organização e comprometimento têm que acontecer, por isso mesmo na horta comunitária é importante ter um planejamento, que envolve regras e um cronograma de trabalho.

Cada pessoa envolvida no projeto vai ter escalas com dias e horários e com suas funções a serem desempenhadas, assim nenhuma parte da horta vai sofrer com pouco ou muito cuidado. 

Uma liderança é necessária em todo o processo para guiar os trabalhos, manter o andamento sob controle e, eventualmente, até resolver atritos e dificuldades que podem aparecer durante os trabalhos. Essa liderança também é responsável por buscar elevar o nível da horta e implementar sempre melhorias no processo.

Dicas para melhorar sua horta comunitária

Por se tratar de um espaço da comunidade e feito pelos moradores, é importante sempre manter as pessoas envolvidas e motivadas nos trabalhos. Para isso, busque inovar, leve especialistas que possam ensinar novas práticas e trocar experiências, incentivando o uso do espaço e evitando o abandono. 

Em meses que a horta tenha uma grande colheita, por que não fazer um almoço convidando grande parte da comunidade? Nesse momento, até quem não participa efetivamente dos trabalhos pode vir a se interessar e se tornar uma nova mão de obra na horta.

Os exemplos pelo Brasil 

As hortas comunitárias se espalharam pelo mundo e começaram a ser usadas cada vez mais para reestruturar áreas das cidades, propondo um novo estilo de vida aos moradores dessas regiões. Com esse conceito difundido, o Brasil se tornou um país com boas referências que servem de inspiração.

Horta das Corujas (SP)

Horta das Corujas.
Horta das Corujas, em São Paulo. Fonte: Pinterest

A Horta das Corujas é uma horta comunitária localizada em São Paulo, em meio a uma praça pública. Sua proposta inicial era criar um espaço de convívio social e que fornecesse educação ambiental aos moradores da região. 

Com regras e muito respeito, os voluntários cultivam hortaliças e frutas no espaço e ensinam novos membros a cultivarem também. A horta fica aberta 24 horas e você pode colher qualquer alimento que quiser, desde que as plantas inteiras não sejam colhidas, somente as partes comestíveis, de forma a preservar as raízes.

Projeto Germinar (SC)

Horta comunitária do Projeto Germinar.
Horta comunitária do Projeto Germinar. Fonte: Casa Vogue

Localizado em Santa Catarina, o Projeto Germinar foi implantado pela prefeitura em 2014, com a proposta de dar um uso as áreas ociosas e, ao mesmo tempo, melhorar a vida da população local. 

Com 42 hortas comunitárias espalhadas por 22 bairros, o programa atende cerca de 470 famílias, que, além de receberem alimentos saudáveis e sem agrotóxicos, aproveitam a horta como um local de recreação, incentivando a socialização e o bem-estar dos moradores.

AgroFavela Refazenda (SP)

Horta comunitária AgroFavela Refazenda.
Horta comunitária AgroFavela Refazenda em Paraisópolis. Fonte: Globo Rural

Inaugurada em outubro de 2020, a horta comunitária AgroFavela Refazenda, que fica localizada no início do território de Paraisópolis, conseguiu em apenas dois meses de trabalhos produzir cerca de 300 quilos de alimentos orgânicos.

Com uma área de 900 m² para plantio, o projeto não só tem objetivo de fornecer alimentos saudáveis aos moradores da região, como também abastecer a cozinha solidária do Mãos de Maria. Além disso, a horta tem um objetivo educacional, em que cursos que ensinam como se plantar em casa são oferecidos às mulheres de Paraisópolis. 

Horta comunitária em Sete Lagoas (MG)

Horta comunitária em Sete Lagoas.
Horta comunitária em Sete Lagoas. Fonte: Casa Vogue

Com o grande aumento do desemprego no município mineiro de Sete Lagoas, em 15 de dezembro de 1982 o projeto de uma horta comunitária foi inaugurado, sendo um meio de ajudar as famílias da região com uma fonte de renda e de alimentação.

Sua área de cultivo é distribuída por sete bairros da região e possui 24 hectares, transformando terrenos ociosos em áreas verdes que produzem variados tipos de verduras e legumes sem o uso de agrotóxicos. Alimentos de ciclos curtos de produção são priorizados para que haja uma comercialização mais rápida assim que forem colhidos.

Benefícios de uma horta comunitária

Além de ser um artifício sustentável que ajuda a levar um ponto verde a cidade, a horta comunitária promove a conscientização da população sobre o processo de plantio e incentiva uma alimentação saudável, garantindo alimentos de qualidade e livre de agrotóxicos.

O espaço também promove a educação ambiental ao colocar a natureza como centro de seus trabalhos, aproximando pessoas e natureza, destaca a importância da preservação do meio ambiente e insere o verde no dia a dia do cidadão.

Para áreas ociosas e de muita vulnerabilidade social, a horta funciona como um espaço com uma utilidade e dá uma ocupação para desempregados, que, além de aprenderem, têm a chance de garantir uma fonte segura de renda e alimentos. Com o trabalho voluntário diário, os moradores se aproximam e criam um vínculo estreito entre si e com a horta, por isso o espaço se torna uma área querida pela comunidade.

A horta comunitária funciona também como um local de aprendizado não só para uma comunidade como para a cidade, tornando-se um ponto de encontro para escolas que querem ensinar na prática os alunos sobre a importância da sustentabilidade e de uma alimentação saudável. 

Uma maneira completa de oferecer alimentação saudável para a população, proporcionar o convívio social entre moradores, destacar a importância do meio ambiente e garantir uma fonte de renda a quem necessita.

Você sabia que muitos empreendimentos novos se importam em causar um menor impacto ao meio ambiente? Com hortas comunitárias, tetos verdes, sistema de reuso de água e, até mesmo, placas solares, esses lançamentos são para quem realmente se preocupa com a sustentabilidade. Confira!

Mais em Live

Ebook Busca e Aquisição de Imóvel: A Jornada

Quer comprar um imóvel e não sabe por onde começar? Separamos um conteúdo especial para te ajudar nessa jornada!

Quero baixar
Ruy Ohtake.
Arquitetura
Ruy Ohtake – Biografia e obras

Ruy Ohtake é conhecido como um dos grandes nomes da arquitetura brasileira, suas obras, além de explorarem a plasticidade de maneira inovadora, são responsáveis pela representação de uma arquitetura democrática, […]

Cidade-se
Viver o Brasil: conheça a Praça dos Namorados, em Vitória

Famosa como lugar de encontro para casais apaixonados, por conta dos espaços verdes sombreados com vista para o mar, mas não só, a Praça dos Namorados, em Vitória, é ponto […]

Mercado Imobiliário
Cyrela Moema by Yoo: Qualidade de vida e exclusividade

A qualidade de vida é um ponto fundamental que compõe o conjunto de características para se viver bem, em um lugar onde o conforto está em primeiro lugar, em espaços […]

Três tiny houses de madeira, lado a lado.
Arquitetura
Tiny houses: minicasas para uma vida minimalista

As tiny houses são pequenas moradias planejadas para quem deseja viver em espaços compactos e minimalistas. Essas casas são o resultado de um movimento que segue a ideia de possuir […]

Escritório em casa: dicas essenciais de organização.
Dentro de Casa
Como montar um escritório em casa: 7 dicas essenciais

Por conta dos avanços tecnológicos, do home office, do marketing digital e de profissões que vêm surgindo nos últimos anos, inúmeras pessoas estão trabalhando no conforto de seus lares atualmente. […]

Você Apto
O que observar antes da assinatura do contrato de compra e venda de imóvel

Após escolher o apartamento ideal, começa o processo burocrático da compra do imóvel, que envolve uma série de procedimentos e documentações até chegar a etapa da assinatura do contrato de […]