Como andar de BRT em Curitiba

O Bus Rapid Transit (BRT) de Curitiba, capital do Paraná, é chamado de Rede Integrada de Transporte (RIT) e consiste em um sistema com 83 km de corredores de ônibus que facilitam e aceleram a circulação de cerca de dois milhões de pessoas diariamente.

Em funcionamento desde 1974, o RIT conta com dez diferentes linhas e 329 estações, pelas quais transitam 417 ônibus, em sua maioria biarticulados. O projeto inclusive foi considerado um dos mais influentes do mundo nos últimos 50 anos, ao lado de nomes como Apollo 11, Netflix e Bitcoin – não é para qualquer um.

mapa BRT Curitiba

Confira os principais termos do transporte público curitibano para facilitar sua circulação quando estiver pela cidade:

  • Terminais: maiores pontos de conexão de linhas de ônibus da cidade. Neles é possível trocar de ônibus sem pagar uma nova tarifa;
  • Estações-tubo: pontos de partida e parada dos Ligeirinhos e Ligeirões. Algumas ficam dentro dos próprios terminais e já se tornaram marca registrada de Curitiba. Em ônibus que passam pelas estações-tubo não há cobradores, já que o pagamento é feito na entrada das estações ou dos terminais;
  • Pontos de ônibus: comuns pela cidade, atendem as demais linhas que ligam o Centro aos bairros, bem como a Linha Turismo;
  • Ligeirão: nas cores vermelho e azul, são os maiores ônibus da cidade e circulam em faixas exclusivas. As paradas, reduzidas, acontecem somente nas estações-tubo e nos terminais;
  • Ligeirinho: de cor prata, também tem um número reduzido de paradas, mas cobre grande parte de Curitiba. Assim como o Ligeirão, seu embarque é feito nas estações-tubo ou nos terminais, mas não utiliza faixas exclusivas;
  • Expresso: possui as mesmas cores e o mesmo tamanho do Ligeirão, mas para em um número maior de estações-tubo e terminais;
  • Interbairros: de cor verde, são articulados e possuem os maiores trajetos, visto que ligam diversos bairros. O embarque é feito em terminais ou nos pontos comuns nas ruas. Não passam pelo centro da cidade;
  • Alimentador: de cor laranja, esses ônibus vão de micro-ônibus a articulados e ligam os terminais a áreas mais distantes, chegando até áreas próximas de municípios vizinhos;
  • Circular Centro: linha especial, tem a cor branca e atende apenas o raio central de Curitiba. Justamente por isso tem uma tarifa reduzida; 
  • Linhas madrugueiras: como a quase maioria dos ônibus para de circular às 00h, as linhas que funcionam 24 horas são chamadas madrugueiras. De madrugada, os ônibus passam de hora em hora, ou seja, num intervalo maior;
  • Linha Turismo: para quem está a passeio, a Linha Turismo é a melhor escolha. O ônibus de dois andares passa por 24 pontos, entre eles o Parque Tanguá, a Ópera de Arame, o Museu Oscar Niemeyer e o Jardim Botânico. A tarifa custa R$ 50,00, mas é gratuito para crianças de até cinco anos. A linha funciona de terça-feira a domingo, das 9 às 17h30, e às segundas apenas quando é feriado nacional ou nas férias escolares;
  • Cartão-transporte: o cartão pode ser comprado avulso por R$ 3,00 e carregado com 25 créditos nos terminais, pontos de venda e aplicativos credenciados, bem como pela internet, que cobra uma tarifa bancária extra de R$ 2,38.

Informações úteis

  • Preços: a tarifa de todos os ônibus custa R$ 4,50, com exceção do Circular Centro, que, por ter um trajeto reduzido, custa R$ 4,00, e da Linha Turismo, que é mais cara, como já citado;
  • Horários: no site da URBS, empresa que controla o sistema de transporte público de Curitiba, é possível consultar os horários de circulação de cada ônibus;
  • Aplicativo: o RIT não conta com aplicativo próprio, mas uma boa dica é baixar o Moovit, que apresenta informações completas sobre o transporte público perto de você.

Gostou? Para conhecer um pouco mais sobre outros trajetos nas demais localidades do país, clique abaixo e conheça mais matérias:

Como andar de metrô e de trem em São Paulo

Como andar de metrô e de trem no Rio de Janeiro

Como andar de metrô em Belo Horizonte

Mais em Live

Ebook Busca e Aquisição de Imóvel: A Jornada

Quer comprar um imóvel e não sabe por onde começar? Separamos um conteúdo especial para te ajudar nessa jornada!

Quero baixar
imagem de de capa com importantes autores e obras do movimento High-Tech, são eles: Renzo Piano, Richard Rogers, Norman Foster, Centro Pompidou, Edifício Lloyd's e a cobertura do Palácio de Reichstag.
Arquitetura
Estilos Arquitetônicos: High-Tech

High-Tech ou alta tecnologia foi uma corrente de pensamento na qual as inovações tecnológicas foram entendidas como potencial para facilitar o cotidiano, em diversos níveis. Assim, o movimento trouxe uma […]

Entenda como funciona o rodízio de veículos em São Paulo
Cidade-se
Entenda como funciona o rodízio de veículos em São Paulo

O rodízio de veículos em São Paulo, chamado Programa de Restrição ao Trânsito de Veículos Automotores no Município de São Paulo, é regulamentado pela Prefeitura Municipal de São Paulo (PMSP) […]

Decoração
Molduras de gesso: o que é, tipos, como utilizar e dicas

Em ambientes interiores, bons acabamentos são essenciais, afinal são estes que brindam os espaços com sofisticação, estilo e colaboram para uma maior e melhor vida útil dos materiais que compõem […]

Complexo Praça das Artes em São Paulo - SP
Arquitetura
Praça das Artes – Que prédio é esse

A Praça das Artes é um complexo cultural, localizado no centro de São Paulo, um local histórico e repleto de cultura e transformações. Assim como outros prédios antes abandonados e […]

Conheça 5 vantagens de investir em imóveis
Você Apto
Conheça 5 vantagens de investir em imóveis

Está pensando em investir em imóveis? Confira as principais vantagens desse setor e veja diferentes maneiras de investir! Investir em imóveis ainda é uma das maneiras mais utilizadas para obter […]

Você Apto
Condomínio-clube: saiba o que é e conheça as vantagens

O condomínio-clube é uma tendência que veio para ficar e está presente em diversas cidades do mundo e também pelo Brasil, afinal, viver com comodidade e infraestrutura é um privilégio […]