A explicação do trânsito em São Paulo

Se você mora em São Paulo você com certeza já ficou preso em um engarrafamento.

Depois de um tempo os carros voltam a andar e você vê que não havia nenhum acidente ou obra.

Ai fica a pergunta por que os carros pararam? Qual é a explicação do trânsito?

A explicação do trânsito tem uma lista extensa de motivos, muitos deles causados por casualidades, como acidentes, carros quebrados, alagamentos etc.

Deixando as casualidades de lado, que não acontecem todos os dias, o Massachusetts Institute of Technology (MIT) decidiu estudar o que eles classificaram como “congestionamento fantasma“, aquele que acontece sem um motivo claro. Aquele que faz você parar o carro sem mais nem menos.

Você dá uma esticada para olhar mais adiante e não vê nada. Segue em frente, olha para os lados buscando a explicação do trânsito, mas não encontra.

A explicação do trânsito

Existem 3 fatores que influenciam diretamente no trânsito, que, quando desequilibrados, causam congestionamentos. São eles:

  1. Velocidade
  2. Densidade
  3. Fluência

Em São Paulo, é fácil haver desequilíbrio, porque a quantidade de carros é grande e nos horários de pico geram uma densidade enorme. Para piorar, a maioria dos carros vão para as Marginais Pinheiros e Tietê e é lá que os fotógrafos aproveitam para registrar diariamente o caos.

transito-ponte-estaiada

A velocidade sempre foi controlada pelo limite máximo, já a fluência do trânsito sempre pareceu algo fora do controle, principalmente em vias expressas como as Marginais.

Porém, segundo o estudo do MIT, quando não há uma fluência constante, cria-se os congestionamentos, independente da velocidade ou da densidade.

Eles identificaram um padrão, mostrando que quando um carro desacelera, os que vem atrás logo são obrigados a frear e isso cria um efeito cascata que pode tomar grandes proporções, porque esse 2º carro que freou, vai obrigar o mesmo ao 3º carro e assim sucessivamente.

O vídeo abaixo é uma gravação de um teste japonês que estudou o mesmo fenômeno, onde os carros apenas tinham que andar na pista circular, para que o efeito cascata possa ser melhor visualizado.

Na prática, a explicação do trânsito paulistano você encontra nas Marginais Pinheiros e Tietê em diversos pontos e situações, que criam o congestionamento diário. Exemplos de desacelerações nas Marginais:

  • Desaceleração para entrar em pontes;
  • Desaceleração para mudar de faixa ou de pista (expressa, central e local);
  • Desaceleração na junção de entradas, como o Cebolão, que conecta as Marginais Pinheiros e Tietê, além de outras avenidas.

A solução do trânsito

1- Melhorar a fluência, reduzindo a velocidade

A redução da velocidade pode ajudar na fluência do trânsito.

Ao diminuir a velocidade média, a discrepância de velocidades de cada carro fica menor, proporcionando maior fluidez. Além de colaborar para a redução de acidentes.

2- Otimizar a densidade

Para ajustar a densidade do trânsito em São Paulo, foi implantado o rodízio de veículos, que impede que cerca de 20% da dos carros circulem nos horários de pico, durante a semana.

3- Morar perto do trabalho

Se você é daqueles que não gosta de esperar a boa vontade do Governo para concluir melhorias de mobilidade, você pode escolher um apto próximo ao seu trabalho.

Muitos resistem a essa ideia para não se distanciar da família, mas normalmente quem toma essa decisão raciocina que normalmente você se desloca para o trabalho 5 dias da semana e para a casa dos familiares ou amigos 2 dias. Seguindo esse raciocínio, faz mais sentido morar perto do trabalho.

Claro que é uma decisão que envolve a família, mas sempre é possível encontrar um bairro ideal para todos. Por exemplo, se o marido trabalha na Av. Paulista e a esposa na Faria Lima, o meio-termo pode ser Pinheiros.

4- Usar o método não convencional do MythBusters

É, ainda bem que por enquanto só estamos com a solução 1, 2 e 3!

Mais em Live

Arquitetura
Edifício Pátio Victor Malzoni - QUE PRÉDIO É ESSE?

Quem passa pela Faria Lima, em São Paulo, e vê o imponente Edifício Pátio Victor Malzoni com seu vão livre de mais de 40 metros de largura a 30 metros […]

Continue lendo
Arquitetura
Edifício Gazeta - QUE PRÉDIO É ESSE?

Figurinha carimbada nos marcos da capital paulistana. Quem nunca passou pelo Edifício Gazeta quando está dando aquela voltinha pela Paulista e se perguntou: que prédio é esse? Você conhece a […]

Continue lendo
Arquitetura
ONGs que criam moradias e condições para viver melhor

Nós do Live temos o lema “More bem, viva melhor”, mas e as pessoas que sequer possuem onde morar? O Brasil tem 15 milhões de pessoas vivendo em situação de […]

Continue lendo
Arquitetura
Para ganhar espaço e ver o mundo - Quando a janela rouba a cena

A janela! Pode ser um item corriqueiro, muitas vezes despercebido, mas já inspirou milhares de canções (você vai se lembrar de alguma). Se observadas do ponto de vista poético, as […]

Continue lendo
Arquitetura
Loft, studio, kitnet… O que caracteriza cada tipo de apartamento?

O mundo do mercado imobiliário pode ser um pouco confuso para quem está começando a busca por um imóvel. Muitos termos utilizados com frequência não ficam muito claros para quem […]

Continue lendo
Arquitetura
Ohtake Cultural - QUE PRÉDIO É ESSE?

Em 2001 a cidade de São Paulo ganhou um ícone inconfundível. Até hoje, as cores e formas do Ohtake Cultural instigam e despertam a curiosidade transeuntes. É possível que você […]

Continue lendo